Em mercados / acoes-e-indices

CSN reverte prejuízo e lucra R$ 494 milhões; veja mais 10 resultados

Mills e Bematech também divulgam resultados com melhores números na principal linha; Comgás lucra 345% a mais, enquanto BTG tem ganhos 20% menores

siderúrgica - aço - CSN
(Getty Images)

SÃO PAULO - O lucro do BTG Pactual (BBTG11) caiu 21% neste trimestre, mostrou o banco de André Esteves nesta terça-feira (6), atingindo R$ 650 milhões. Essa redução foi menor do que a sofrida nas receitas totais da companhia, que caíram 39%, para R$ 1,0 bilhão - mostrando que a margem líquida da companhia, na verdade, cresceu. 

Sem referências ao acordo com o grupo EBX, que estima-se tem feito maiores danos aos números da companhia, o resultado foi realizado em um mercado difícil, de acordo com a própria companhia. "Continuamos satisfeitos com o desempenho de nossas franquias de cliente, que apresentaram crescimento significativo e sólidos fundamentos em termos de volume de operações, spreads e qualidade de ativos", fala André Esteves, CEO (Chief Executive Officer). 

Além disso, o BTG destaca ter se fortalecido nesse trimestre, com a criação de uma joint-venture para exploração de petróleo na África, juntamente com a Petrobras (PETR3; PETR4). O grande destaque negativo do balanço do grupo ficou com o "principal invesments", que havia registrado uma receita de R$ 687 milhões no mesmo trimestre do ano passado, mas desta vez representou uma despesa líquida de R$ 313 milhões. A companhia pagará R$ 0,102109143 centavos por unit da companhia. 

Cielo mostra leve alta no lucro líquido
Enquanto isso, a Cielo (CIEL3) mostrou lucro líquido de R$ 623,3 milhões, um crescimento de 13,6% nos ganhos deste trimestre contra o ano passado. A receita cresceu bem mais: alta de 28,9%, atingindo R$ 1,60 bilhão. Com isso, a companhia tem uma margem líquida considerada alta, de 38,8% - mesmo com a queda de 5,2 pontos percentuais.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 859,1 milhões, uma alta de 22%, levando a margem Ebitda (Ebitda/Receita Líquida) para 53,5%. A quantidade de pontos de venda da companhia cresceu 8,4%, atingindo 1.370 "maquininhas" no segundo trimestre.

CSN também mostra resultado melhor
Outra companhia do Ibovespa, a CSN (CSNA3) mostrou um resultado melhor do que o ano passado - revertendo as perdas de R$ 1 bilhão, frutos de um ajuste contábil, para ganhos de R$ 494,46 milhões neste trimestre. Isso representa uma melhora mesmo quando comparado com os números do primeiro trimestre, quando os ganhos haviam sido de R$ 27,32 milhões. 

As receitas cresceram 14%, para R$ 4,0 bilhões, enquanto o Ebitda ajustado atingiu R$ 1,0 bilhão - praticamente estável, com queda de apenas 2%. A dívida liquida ajustada da companhia cresceu 8%, e agora atingiu R$ 16,85 bilhões. 

Ganhos da Magazine Luiza sobem 149,4%
Enquanto isso, o lucro líquido da Magazine Luiza (MGLU3) teve alta de 149,4%, para R$ 54,7 - levando a margem líquida da companhia para 3%. As receitas líquida da varejista bateram R$ 1,8 bilhão no trimestre, um crescimento de 11,6%, ao passo que o Ebitda dobrou. O crescimento foi de 98,8% para R$ 160,1 milhões. Já a margem Ebitda pulou de 4,9% para 8,7%. 

Lucro líquido da Mils cresce 22,5%
A prestadora de serviços de engenharia Mills (MILS3) registrou alta de 22,5% no lucro líquido no segundo trimestre deste ano. Segundo a demonstração de resultado da empresa, os ganhos ficaram na marca dos R$ 48,073 milhões.

A receita líquida da companhia teve alta ainda percentual maior em comparação com o mesmo período do ano anterior: 35,5%, R$ 211,774 milhões contra R$ 156,286 milhões. Enquanto isso, o Ebitda (lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu um pouco menos - 24,1%, aos R$ 98,9 milhões. 

 Os custos da companhia também subiram. Enquanto em 2012 marcavam R$ 100,035 milhões, nos últimos três meses ficaram em R$ 144,119 milhões - alta de 44,07%. Neste quesito, destaca-se o crescimento de 193,83% nos custos sobre as mercadorias vendidas e de 72,30% nos gastos com material para construção, manutenção e reparo.

A Mills anunciou ainda o pagamento de R$ 23,421 milhões em juros sobre capital próprio aos acionistas, o equivalente a R$ 0,18 por ação. O benefício deve ser concedido até o final de 2013.

Bematech tem alta de 63,2% no lucro líquido
A empresa de soluções em tecnologia Bematech (BEMA3) teve alta de 63,2% no lucro líquido do segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2012, marcando R$ 9,89 milhões. O Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) subiu 33,7%, para R$ 17,79 milhões e a receita, 7,6%, registrando R$ 90,223 milhões.

No documento do resultado, o presidente da companhia, Cleber Morais, ressaltou as parcerias feitas com Microsoft e Oracle no último trimestre como continuação da política de investimentos na nova estruturas de software. "A companhia tem se consolidado cada vez mais como fornecedora de soluções, fato que, aliado ao reconhecimento do mercado, tem aumentado a demanda de um mix de produtos ampliado e dedicado ao ponto de venda. Além disso, temos melhorado nossas receitas de serviços neste mercado, visto que com o Bematech Mais Pós-Vendas temos conseguido integrar nossos negócios de Hardware e Serviços", afirmou o CEO da companhia.

Cleber Morais ainda destacou que as expectativas de crescimento aquém do esperado no varejo podem levar a Bematech a revisar suas perspectivas de melhora nos resultados. A empresa também anunciou que pagará R$ 3.083.848,20 sob forma de dividendos ao acionistas, correspondente ao valor de R$ 0,06 por ação. Tal montante representa 31,16% do lucro líquido obtido pela Bematech neste trimestre.

Comgás: lucro sobe 345%
A Comgás (CGAS5) registrou um lucro líquido de R$ 167,8 milhões, com alta de 345% frente ao mesmo período do ano passado. A receita líquida, por sua vez, registrou alta de 25,6% em relação ao igual trimestre de 2012, para R$ 1,6 bilhão.

O Ebitda registrou alta de 123% sobre o mesmo período do ano anterior, para R$ 379,6 milhões.

Copasa registra queda de 28,8% no lucro líquido
A Copasa (CSMG3) anunciou uma queda de 28,8% no lucro líquido no segundo trimestre, para R$ 76,221 milhões, frente aos R$ 101,147 milhões no mesmo período de 2012. No semestre, o lucro somou R$ 192,59 milhões, queda de 16,3% frente à primeira metade do ano passado.

A receita líquida, por sua vez, subiu 14,4% no segundo trimestre, somando R$ 953,76 milhões.  O Ebitda ajustado no trimestre foi de R$ 253 milhões com margem de 34,1%. Já as despesas operacionais tiveram alta de 44% no segundo trimestre, para R$ 333,912 milhões, enquanto o lucro bruto registrou aumento de 7,1%, ou R$ 690 milhões. 

Receita líquida da Ecorodovias sobe 47,7%
O lucro líquido da Ecorodovias (ECOR3) cresceu 3,2%, para R$ 87,1 milhões no segundo trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2012. A receita líquida da companhia também avançou, com R$ 653,9 milhões - aumento de 47,7% na mesma base comparativa.
O Ebitda da concessionária de rodovias atingiu R$ 288,8 milhões, ante R$ 229,9 milhões no segundo trimestre do ano passado, mostrando alta de 25,6%. A margem Ebitda, no entanto, caiu 7,7 pontos percentuais, para 44,2% no período.

Unicasa: lucro líquido cai 26,6%
A Unicasa (UCAS3) registrou um lucro líquido 26,6% menor na comparação com o segundo trimestre de 2013, para R$ 5,8 milhões, ante R$ 7,9 milhões. Enquanto isso, a receita líquida registrou queda de 4%, a R$ 63,48 milhões.

O Ebitda da companhia teve queda de 26,6%, para R$ 5,8 milhões, com margem de 9,1%, ou queda de 2,9 pontos percentuais. 

 

Contato