Em mercados / acoes-e-indices

Gerdau tem lucro maior do que o esperado e receita da Ultrapar sobe 17%

Paranapanema encerrou o 2º trimestre com receita líquida de R$ 1,29 bilhão, crescimento de 38,3%; Ebitda da Ultragar cresceu pelo 7º ano

Gerdau 01 - Fábrica
(Divulgação Gerdau)

SÃO PAULO - Diversas companhias divulgaram resultados entre a noite da véspera e esta quinta-feira. Em destaque, está a Gerdau (GGBR4), que registrou um lucro líquido de R$ 401 milhões no segundo trimestre de 2013, representando uma queda de 27% em relação aos R$ 549 milhões. Este resultado ficou acima das projeções de analistas compiladas pelo InfoMoney, de R$ 318 milhões. 

Já a receita líquida da Gerdau passou de R$ 9,975 bilhões para R$ 9,88 bilhões, uma queda de 0,9%, abaixo das expectativas de analistas. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) também registrou queda, de 3,9%, passando para R$ 1,196 bilhão. A margem Ebitda (Ebitda/ receita líquida) teve queda de 0,4 ponto percentual, para 12,1%. 

Segundo a companhia, o volume de vendas consolidadas no segundo trimestre em relação ao ano anterior apresentou redução principalmente pelas menores exportações a partir da ON Brasil, parcialmente redirecionadas para o mercado interno, especialmente de produtos semiacabados.

Na ON América do Norte, a redução das vendas foi reflexo da implantação de um novo software de gestão ao longo de 2012 e início de 2013 e de maiores importações no período. Na ON aços Especiais, as maiores vendas ocorreram, principalmente, nas unidades no Brasil, onde se verificou a recuperação da produção de veículos, especialmente caminhões. Já na ON América Latina, o crescimento das vendas deveu-se a maior demanda em alguns países da região.

Ultrapar lucra R$ 283,7 milhões
A Ultrapar (UGPA3) divulgou lucro líquido de R$ 283,7 milhões no 2º trimestre nesta quarta-feira (31), alta de 21% em relação ao mesmo período do ano passado. A empresa acumula lucro de R$ 530,2 milhões no primeiro semestre do ano, uma alta de 24% em relação ao mesmo período em 2012. 

Pelo 7º ano consecutivo, o Ebitda voltou a crescer: salto de 22%, para R$ 706 milhões. Com isso, essa linha do balanço atingiu R$ 1,32 bilhão no acumulado do ano, o que também representa alta de 22%. "É com satisfação que completamos sete anos seguidos de crescimento de Ebitda, conquistado ao longo de diferentes ciclos econômicos", afirma Theo Mannhardt, presidente da companhia. 

A receita da companhia atingiu R$ 15,2 bilhões no segundo trimestre, crescimento de 17% - batendo a marca de R$ 28,8 bilhões ao longo dos seis primeiros meses do ano. A companhia deve pagar R$ 354 milhões em dividendos, em referência ao primeiro semestre.

Paranapanema registra prejuízo 81,8% menor
A Paranapanema (PMAM3) anunciou prejuízo líquido de R$ 12,169 milhões, queda de 81,8% quando comparado ao segundo trimestre de 2012. A empresa encerrou os meses de abril a junho com receita líquida de R$ 1,290 bilhão no segundo trimestre, crescimento 38,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 53,604 milhões, contra R$ 22,199 milhões em 2012. 

A companhia destacou, em apresentação do resultado ao mercado, que os números, em meio a um período desafiador para a empresa, confirmam que as iniciativas que vem sendo introduzidas no escopo do projeto da Nova Paranapanema estão criando as condições adequadas para que ela se consolide como líder no segmento de cobre no Brasil.

Lucro da Totvs cresce 14,3% e atinge R$ 54,03 milhões
Outra empresa que anunciou seu resultado trimestral nesta quarta-feira foi a desenvolvedora de softwares Totvs (TOTS3), que registrou lucro líquido de R$ 54,03 milhões, avanço de 14,3% no lucro líquido em comparação com o mesmo período de 2012.

A receita líquida da empresa cresceu 15,8%, alcançando a marca de R$ 395,5 milhões, resultado que já desconsidera a dedução do INSS do plano Brasil Maior - incluindo o incentivo do governo, a receita no período teria sido de R$ 403,0 milhões. Os três principais segmentos de receita da empresa mostraram evolução de dois dígitos na passagem anual: a taxa de licenciamentos avançou 11,3%, para R$ 90,2 milhões; a linha "serviços" expandiu-se em 18,9%, para R$ 120,9 milhões; já a receita com manutenção cresceu em 14,7%, para R$ 191,9 milhões.

O Ebitda também apresentou sinal positivo: alta de 6,7% em relação a 2012, chegando à cifra de R$ 98,9 milhões. No entanto, como a receita evoluiu mais forte que o Ebitda, a margem Ebitda caiu 1,9 ponto percentual em relação ao 2º trimestre do ano passado, para 25,0%. Essa diferença deve-se ao crescimento de 22,5% dos custos operacionais, que ficaram em R$ 132,6 milhões entre abril e junho.

Receita líquida da Coelce cai 3,4%, para R$ 698,06 milhões
A distribuidora de energia elétrica Coelce (COCE3) resgistrou queda de 12,4% em seu lucro líquido trimestral, com R$ 75,233 milhões ante R$ 85,890 milhões obtidos no segundo trimestre de 2012. A receita líquida da companhia também caiu, de R$ 722,977 milhões no ano passado para R$ 698,059 milhões no segundo trimestre de 2013, mostrando variação negativa de 3,4%.

O Ebitda da companhia também mostrou queda na comparação com o mesmo período de 2012: de R$ 163,301 milhões, passou para R$ 129,399 milhões, com queda de 20,8%. A margem Ebitda recuou 4,05 pontos percentuais, para 18,54%.

Celulose Irani registra alta de 23,1% em receita líquida
A Celulose Irani (RANI4) divulgou seu resultado trimestral na noite da última quarta-feira, reportando aumento de 23,1% em sua receita líquida, que alcançou R$ 144,58 milhões no 2º trimestre deste ano. No mesmo período, a companhia obteve lucro líquido de R$ 13,973 milhões, ante prejuízo de R$ 5,731 milhões registrados ano passado.

Já o Ebitda da empresa cresceu 75,5% na comparação anual, com R$ 40,302 milhões no período entre abril e junho.

 

Contato