Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa sobe mais de 2%, com Petro,Vale e OGX avançando mais de 4%

Discurso de Bernanke ontem após o pregão anima investidores nesta quinta-feira pós-alta de Selic; nenhuma das 71 ações do índice caem mais de 1%

ações - bolsa de valores - Bovespa - mercado financeiro
(Divulgação/BM&FBovespa)

SÃO PAULO - Embalado pelas referências de China e EUA, o Ibovespa estende os ganhos da sessão anterior e opera com forte alta nesta quinta-feira (11), avançando 2,30% às 10h24 (horário de Brasília), para 46.529 pontos. O discurso feito ontem após o fechamento dos mercados por Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve, e a sinalização de novos estímulos na China animam os investidores, que também repercutem a já esperada alta de 0,5 ponto percentual da Selic, que agora está em 8,50% ao ano.

Contribuindo para o desempenho do índice neste começo do dia, as ações da Petrobras e Vale, que possuem as maiores participações individuais na composição do Ibovespa, aparecem entre os maiores ganhos desta manhã, com PETR3, VALE3 e VALE5 subindo mais de 4% às 10h24. Apenas a PETR4 mostra uma alta mais tímida, de 1,78%. Juntas, as duas blue chips respondem por cerca de 20% do Ibovespa.

Com os investidores demonstrando maior apetite em tomar posições de risco nesta quinta-feira, as ações das duas empresas acabam ganhando impulso, principalmente pela longa sequência de quedas que elas tiveram. Além disso, no caso da Vale, a alta pode estar associada às novidades da China, principal destino das suas exportações. Relatório divulgado na mídia oficial aponta que as regras de financiamento para as empresas do setor imobiliário chinês podem ser parcialmente afrouxadas, abrindo precedentes para estímulos na economia em geral. A notícia ajuda a impulsionar a CSN (CSNA3, R$ 5,76, +4,35%), que também possui exposição ao mercado de mineração.

OGX volta a disparar; elétricas recuam
A maior alta do Ibovespa neste momento também é de uma ação com expressiva participação na carteira teórica: a OGX Petróleo (OGXP3, R$ 0,63, +6,78%), que com a alta parcial de hoje já acumula ganhos de mais de 60% nos últimos 5 pregões. O noticiário sobre as empresas do Grupo EBX mais uma vez mostra-se agitado, que vai desde nova venda de ações da OGX por Eike Batista - e a confirmação de que ele não fará novas vendas dos papéis da empresa -, a renúncia do pai de Eike do Conselho da OSX Brasil (OSBX3) e a saída de dois conselheiros independentes da OGX, o que aumenta o risco de Eike não exercer a "put" de US$ 1 bilhão na empresa.

Na outra ponta do Ibovespa, vale mencionar que neste momento apenas 3 das 71 ações do índice operam no vermelho: as elétricas Light (LIGT3, R$ 16,07, -0,80%), Copel (CPLE6, R$ 29,68, -0,40%) e a administradora de cartões Cielo (CIEL3, R$ 55,51, -0,25%).

Copom, Bernanke e Ásia no radar
Por aqui, o Copom voltou a elevar a Selic, desta vez em 0,5 ponto percentual, para 8,50% ao ano. Embora a notícia aparenetemente seja negativa para o mercado de ações - tendo em vista que uma taxa de juros mais alta reduz a atratividade da renda variável em relação à renda fixa, sem contar o impacto do aperto monetário no consumo e crescimento da economia -, ela deve ter pouco impacto nos mercados, já que essa elevação era quase que uma unanimidade entre os economistas.

Nos EUA, se durante a tarde de ontem a divulgação da ata do Fomc (Federal Open Market Committee) dividiu opiniões e trouxe certa volatilidade aos mercados, o discurso de Bernanke após o fechamento do pregão animou novamente os investidores. Após a ata revelar que quase metade das autoridades do Fed defendeu que o programa de compra de títulos deve ser interrompido no fim do ano, Bernanke reiterou a necessidade se manter a política monetária expansionista no horizonte relevante.

"A mensagem geral é a acomodação", disse Bernanke durante discurso. "A política altamente expansionista é necessária para o futuro", acrescentou.

Já na Ásia, além dos possíveis estímulos na China, o Japão também dá sua contribuição para o cenário mais calmo nas bolsas. O Banco Central elevou as perspectivas econômicas do país, refletindo os sinais crescentes de que os efeitos positivos do iene fraco e as políticas inflacionárias do governo estão se ampliando. Seguindo o esperado pelo mercado, o BC votou por unanimidade para manter sua promessa de elevar a base monetária, ou dinheiro e depósitos no banco central, a um ritmo anual de 60 trilhões a 70 trilhões de ienes (US$ 600 bilhões a US$ 700 bilhões).

Indicadores econômicos
Na pauta econômica dos EUA, o Initial Claims revelou que o 
número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou mais do que o esperado na semana passada, indo de 344 mil para 360 mil - a expectativa era de que fossem registrados 345 mil novas solicitações. Já os preços dos importados e exportados dos EUA mostraram quedas respectivas de 0,3% e 0,2% em junho.

No front doméstico, as vendas no varejo brasileiro registraram estabilidade em maio ante abril, melhor do que o esperado pelo mercado, que esperava queda de 0,3%. Na comparação com o mesmo mês de 2012, houve alta de 4,5%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

 

Contato