Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa intensifica perdas nesta tarde, após ganhos durante a semana

Índice acumula alta na semana apesar de queda nesta sessão; PIB dos EUA decepcionou e derrubou índices mundiais

Bovespa - mesa - corretores - mercado financeiro
(Divulgação/BM&FBovespa)

SÃO PAULO - Quebrando uma sequência de ganhos nesta semana, o Ibovespa cai 1,26%, a 54.269 pontos na cotação das 12h56 (horário de Brasília). Este movimento acompanha os mercados mundiais e traz uma realização de lucros. O último pregão, com uma ligeira queda de 0,04%, interrompeu um rali de 5 altas seguidas, que valorizou o índice em 3,97%.

Seguindo este raciocínio e lembrando que os mercados mundiais apresentam queda nesta sexta-feira, o analista Pedro Galdi, da SLW Corretora, avalia que o momento é de realização de lucros. "Com as altas vistas nesta semana em diversos mercados, qualquer notícia abala os índices e propicia a devolução, como foi o caso hoje com a divulgação do PIB (Produto Interno Bruto) norte-americano", comenta Galdi.

Algumas empresas que apresentaram fortes altas na semana caem neste pregão, como é o caso da Fibria (FIBR3, R$ 21,19, -5,86%) e da Suzano (SUZB5, R$ 7,31, -4,19%). Ainda na ponta negativa do índice estão os papéis da Usiminas (USIM5, R$ 10,20, -3,95%USIM3, R$ 10,28, -3,93%), que divulgou seu balanço antes da abertura do pregão com forte aumento em seu prejuízo trimestral.

Decepção
A primeira prévia do PIB norte-americano referente ao primeiro trimestre de 2012 apontou que a economia teve avanço de 2,5% em bases anuais. O resultado ficou abaixo do consenso das projeções dos analistas, que esperavam expansão de 2,8% na atividade econômica, segundo projeções do portal Briefing.com.

Mais tarde será apresentado o Michigan Sentiment, índice que mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana, sendo dividido em duas categorias: situação atual e expectativas para o futuro.

No aguardo da Petrobras
Após o pregão, também chama a atenção do mercado a divulgação do resultado trimestral da Petrobras (PETR3PETR4), com analistas projetando recuperação no balanço após os reajustes nos preços de combustíveis realizados pelo Governo em 2013.

Europa em queda
Na Europa, as ações caem nesta manhã, interropendo um rali de 5 pregões em alta. A chanceler alemã Angela Merkel engrossou o debate sobre a política de taxa de juros do BCE (Banco Central Europeu), dizendo que o BC deveria aumentar a taxa se analisasse apenas a economia alemã. Analistas esperam um corte na taxa na próxima semana.

Vale mencionar que na véspera o presidente do Bundesbank, banco central alemão, Jens Weidmann, divulgou no jornal Handesblatt um relatório criticando o programa de compra de títulos OMT (Transações Monetárias Diretas), ao avaliar que o programa afeta a independência dos bancos centrais e a dívida soberana dos países da zona do euro. A notícia afetou a tendência de alta das bolsas brasileira e norte-americana, mas não teve efeito na Europa pois os mercados já estavam fechados.

 

Contato