EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / acoes-e-indices

Suzano, Fibria, BRF disparam; OGX chama a atenção do mercado

Ainda entre os destaques, as ações da OGX registram forte oscilação após rumores sobre venda de fatia da empresa; Tarpon eleva participação na Metalúrgica Gerdau

Sadia_Brasil Foods
(Divulgação)

SÃO PAULO - Perdendo forças durante o início da tarde, o Ibovespa registra alta de 0,49% por volta das 13h55 (horário de Brasília), atingindo os 56.429 pontos - depois de chegar a subir 1,04% mais cedo.

O índice segue o humor das ações da OGX Petróleo (OGXP3), que chegaram a subir 8,89% pela manhã, mas inverteram sinal, passando a cair mais de 1%. Agora, os papéis sobem 1,39%, a R$ 3,65, refletindo os rumores da noite da véspera, de que o empresário Eike Batista estaria negociando vender uma fatia da empresa, braço petrolífero do Grupo EBX, para a estatal da Malásia, Petrobras. Em resposta ao Portal InfoMoney, a OGX disse que "não comenta rumores de mercado".

A OGX avisa que o farm out (venda parcial ou total dos direitos de concessão detidos pela empresa) nos blocos de Campos está na sua lista de prioridades, mas para o Banco Espírito Santo a venda de fatia da companhia teria efeito similar, trazendo mais caixa para o negócio. "Se confirmado, a notícia será positiva não apenas por impulsionar a reserva de caixa, mas também por reduzir os riscos futuros dos ativos e capex (investimentos em bens de capital)", disse o analista Oswaldo Telles, em relatório.

Suzano e Fibria disparam com aumento de preço da celulose
Também chama a atenção a forte valorização das ações da Suzano (SUZB5), que sobem 5,67%, sendo cotadas a R$ 6,52 - patamar próximo da máxima do dia de R$ 6,54, representando alta de 6,0%.

Os papéis refletem o anúncio da companhia de que irá aumentar o preço dos seus produtos em US$ 20 a tonelada a partir de 1 de março. De acordo com a Risi, que divulga informações sobre o setor de papel e celulose, haverá um aumento do preço de celulose BEK em três regiões: na Europa, para US$ 820 a tonelada, US$ 870 a tonelada para a América do Norte e de US$ 720 para a Ásia.

Acompanha o movimento positivo, as ações da Fibria (FIBR3), também do setor de papel e celulose, que registram valorização de 3,58%, sendo cotadas a R$ 22,25. Na máxima do dia, os papéis chegaram a ganhos de 5,21%, a R$ 22,60. 

BRF sobe na esteira da indicação de Abilio ao conselho
Outro papel que ganha destaque na bolsa é o da BRF (BRFS3), que registra alta de 3,25%, a R$ 42,85, no pregão seguinte à indicação de Abilio Diniz ao conselho da empresa. Na máxima do dia, as ações chegaram a valorização de 4,63%, sendo cotadas a R$ 43,42. 

O atual conselho da empresa aprovou por maioria um novo quadro de conselheiros. Além de Diniz na presidência, a proposta é incluir Sérgio Rosa como vice-presidente e Carlos Fernando Costa no quadro. Rosa é indicado pela Previ e Costa pela Petros. Esses são os dois principais acionistas individuais da BRF, segundo dados do final de 2012, disponíveis na BM&FBovespa. A Previ detém 12,2% de participação e a Petros possui 11,3%.

Para a equipe do Itaú BBA, a definição destes novos membros é positiva, já que reduz o risco de desacordo entre os principais acionistas da BRF e indica uma visão mais concreta de longo prazo, favorecendo a implantação da estratégia.

Klabin sobe após resultados
Ainda entre as principais referências do dia, as ações da Klabin (KLBN4) sobem 2,16%, sendo cotadas a R$ 13,24, após a empresa divulgar seus resultados do quarto trimestre do ano passado

O lucro líquido da Klabin em 2012 aumentou 311%, para R$ 752 milhões, ante R$ 183 milhões em 2011, o que foi dentro do esperado. Já a receita líquida da empresa foi de R$ 4,2 bilhões, com alta de 7% em relação ao ano anterior. Pelo lado negativo, o resultado financeiro da empresa ficou negativo em R$ 170 milhões.

O Ebitda ajustado da companhia foi positivo em R$ 1,35 bilhão, com aumento de 31% em relação a 2011, quando registrou R$ 1,02 bilhão. Com esses valores, a margem Ebtida aumentou 6 pontos percentuais, de 26% para 32% em 2012.

Hering e T4F também reportam balanços
Além da Klabin, a Cia Hering (HGTX3) também repertou seu balanço neste pregão. A empresa registrou lucro líquido de R$ 101,01 milhões no último trimestre de 2012, valor 4,0% menor do que o visto no último trimestre do ano anterior, mas o suficiente para levar o resultado anual total para R$ 311,01 milhões, uma alta de 4,6%. 

Já a T4F Entretenimento (SHOW3) registrou prejuízo líquido de R$ 31,21 milhões no quarto trimestre de 2012, ante um lucro de R$ 12,54 milhões nos três meses imediatamente anteriores. No acumulado do ano, o prejuízo foi de R$ 3,95 milhões, ante lucro de R$ 61,07 milhões em 2011. Os últimos três meses foram os piores da companhia no ano de 2012.

Tarpon eleva participação na Metalúrgica Gerdau
Fora da temporada de balanços, repercute a notícia de que a Tarpon Gestora de Recursos elevou a participação na Metalúrgica Gerdau (GOAU4) para 20,38% das ações preferenciais da empresa, equivalente a 56.048.000 papeis.

"O objetivo das aquisições é de investimento, não se visando à alteração da composição do controle", informou a Tarpon segundo comunicado da metalúrgica.

Vigor compra 50% da Itambé
Por sua vez, a Vigor (VIGR3), empresa de laticínios do grupo J&F, assinou na noite de ontem a compra da Itambé, cooperativa mineira que fatura cerca de R$ 2 bilhões. O negócio deve ser anunciado ainda hoje. A J&F, que também controla a JBS (JBSS3), pagou R$ 410 milhões por 50% das ações. 

Um acordo dá à empresa o direito de escolher presidentes e diretores. Na prática, a Vigor controlará a Itambé. Com o acordo, a dívida da Itambé cai de 5,3 vezes sua geração de caixa para 1,3. 

IdeiasNet informa contrato de R$ 108 mi com Telebras
A IdeiasNet (IDNT3) informou nesta manhã que, a Padtec, fabricante de equipamentos de telecomunicações com participação da Ideiasnet, foi escolhida pela Telebras (TELB4) para prestar serviços de gestão, operação e manutenção de sua rede de telecomunicações de alta velocidade no Brasil.

O contrato, que terá duração de 3 anos e tem valor de R$ 108 milhões, confirma a estratégia da Padtec de concentrar suas atividades de serviços profissionais em uma nova unidade de negócios - Padtec Serviços Globais, aponta o comunicado. Em reflexo, as ações sobem 2,28%, sendo cotadas a R$ 2,24. 

Profarma forma join venture com Nutrilatina
A distribuidora de medicamentos Profarma (PFRM3) anunciou uma joint venture com a Nutrilatina para a formação da atacadista Supernova. A joint venture terá 35% de participação da Profarma, 35% da Nutrilatina e 30% do investidor Leonardo Chiacchio.

Com a aliança, a Profarma passa a comercializar com exclusividade os produtos da Nutrilatina para o varejo farmacêutico e marca sua entrada em lojas de suplementos alimentares e esportivos, com distribuição exclusiva em quase 1,5 mil estabelecimentos.

Oi é multada pela 4° vez em 15 dias
A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) multou em R$ 1,1 milhão a operadora Brasil Telecom, do Grupo Oi (OIBR4), filial de Santa Catarina. A multa já havia sido estabelecida em 2011, mas a Brasil Telecom recorreu da decisão. A Anatel não acatou o recurso e manteve a punição nesta sexta-feira. 

Com isso, o Grupo Oi já contabiliza quatro multas recebidas pela Anatel desde o último dia 15. Somadas, as sanções giram em torno de R$ 40 milhões. 

Filas no Porto de Santos
Cresce fila para embarque de grãos nos portos brasileiros. A forte demanda global pelas safras brasileiras de milho e soja faz com que as filas de navios para atracar nos portos de Santos e Paranaguá estejam duas a três vezes maiores do que há um ano, e para complicar a situação, estivadores farão uma greve de seis horas nesta sexta-feira.

Na quinta-feira, havia 59 navios esperando para carregar grãos no porto de Santos, contra 29 há um ano, segundo dados da SA Commodities. Mas para a equipe de análise da XP Investimentos entende que a forte demanda no Porto de Santos como um indicativo de forte movimentação no Tecon Santos, principal terminal da Santos Brasil (STBP11). "Ainda que as filas sejam reflexo de um gargalo de infraestrutura no Brasil, tendem a aumentar o tempo de armazenagem para a companhia, incrementando seu faturamento", disse. 

Arsesp adia publicação do reajuste tarifário da Sabesp
A Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo) adiou a publicação da revisão tarifária da empresa paulista de saneamento Sabesp (SBPS3). O órgão recebeu, no dia 19, um ofício da Prefeitura de São Paulo requerendo a prorrogação. O pedido foi aprovado em reunião da diretoria da agência ocorrida ontem. Agora, a divulgação está prevista para o dia 22 de março. 

Em reflexo, as ações da empresa caem 2,07%, sendo cotadas a R$ R$ 91,76 - próximo a mínima do dia de R$ 2,20, ou queda de 2,20%.

Fundo reduz participação acionária na Plascar
A Plascar (PLAS3) comunicou aos acionistas que os fundos de investimentos geridos por Perimeter Administração de Recursos venderam, em conjunto, ações ordinárias de emissão da empresa, sendo que em 15 de fevereiro, os fundos passaram a deter 62,694 milhões de ações. 

A participação dos fundos atualmente passaram para aproximadamente 26,14% das ações de emissão da Plascar. 

Em comunicado, a Perimeter ressalta que a venda das referidas ações tem o exclusivo objetivo de investimento, não havendo qualquer interesse em alterar a composição de controle ou estrutura de administração da empresa, bem como de deter bônus de subscrição, direitos de subscrição de ações, opções de compra de ações e debêntures conversíveis em ações de emissão da companhia. Além disso, ela declara que não foi firmado acordo ou contrato regulando o exercício do direito de voto ou a compra e venda de valores mobiliários de emissão da companhia. 

Contato