Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa abre em queda, após inflação na China superar projeções

Alta nos preços em dezembro surpreendeu o mercado e coloca em dúvida novos estímulos monetários

Bovespa - mesa - corretores - mercado financeiro
(Divulgação/BM&FBovespa)

SÃO PAULO - Em uma manhã com as atenções voltadas para a Ásia, a China entra no centro das atenções com uma inflação mais alta que a esperada em dezembro e leva os mercados acionários para um dia de perdas. Em linha com o mercado internacional, o Ibovespa abre em queda de 0,28%, aos 61.506 pontos.

Na última noite a China anunciou uma inflação de 2,5% em dezembro, no nível mais alto em sete meses. Nesta manhã o Banco Central reforçou que continuará com uma política monetária prudente neste ano, mas o mercado se preocupa com a falta de estímulos no país por conta da pressão inflacionária.

Isso pressionou as ações das mineradoras na Europa, e por aqui não é diferente. As maiores quedas do Ibovespa ficam por conta das ações do Pão de Açúcar (PCAR4, R$ 88,40, -3,87%),  Vale (VALE5, R$ 39,93, -1,58%; VALE3, R$ 41,50, -1,52%),  JBS (JBSS3, R$ 6,21, -1,27%) e Lojas Americanas (LAME4, R$ 18,35, -1,08%).

Mais cedo, o Japão havia revelado um programa de estímulos de 10,3 trilhões de ienes (US$ 116 bilhões). A estimativa é que ele
aumente o PIB (Produto Interno Bruto) em dois pontos percentuais e crie 600 mil postos de trabalho. 

Agenda do dia
O restante do pregão possui poucos indicadores de relevância para os mercados acionários. Os EUA anunciarão, às 11h30 (horário de Brasília), os preços de importação e exportação em dezembro, assim como o orçamento do Tesouro. Ainda serão publicados os resultados da balança comercial de novembro.

 

Contato