Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa sofre vaivém no início do pregão à espera de Fed

Mercado pode sofrer volatilidade adicional por conta do vencimento de opções de futuros e opções sobre o Ibovespa

ações - mesa - bolsa de valores - Bovespa - cotações
(Rafael Matsunaga/Wikimedia)

Atualizada às 10h15 (horário de Brasília). 

SÃO PAULO - Na cola do exterior, a bolsa brasileira inicia os negócios desta quarta-feira (12) perto da estabilidade e, assim, corre o risco de interromper uma série de três pregões em campo positivo. Por volta de 10h15 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava modesta queda de 0,02%, aos 59.609 pontos.

Além da cautela dos investidores antes do fim do encontro de dois dias do Federal Reserve, a bolsa brasileira deve sofrer uma volatilidade adicional por conta do vencimento de opções de futuros e opções sobre o Ibovespa.

Encontro do Fed
Às 15h30 (horário de Brasília), o banco central norte-americano revela a decisão sobre a taxa básica de juros do país. Economistas esperam que o anúncio venha acompanhado de uma reformulação do plano de compra de títulos.

O último encontro do Fed acontece em meio às negociações sobre um acordo para tentar evitar o abismo fiscal, conjunto de aumentos de impostos e profundos cortes de gastos a partir de janeiro de 2013.

União bancária
Na zona do euro, os ministros de Finanças da União europeia reúnem-se nesta quarta, em Bruxelas, para tentar chegar a um compromisso sobre o mecanismo único de supervisão bancária.

Na Itália, o primeiro-ministro fará um pronunciamento, o qual pode dar alguma pista sobre o futuro político do país. Cabe lembrar que, no fim de semana, o premiê anunciou sua saída do cargo logo que o Parlamento aprovar o orçamento para 2013.

Agenda de indicadores
Do lado econômico, as encomendas de máquinas no Japão cresceram em outubro pela primeira vez em três meses. O indicador subiu 2,6% na comparação mensal, mas ficou abaixo do previsto pelos analistas de alta de 3%.

Na zona do euro, a produção industrial recuou 1,4% em outubro, depois de uma queda de 2,3% em setembro. A agenda ainda reserva números sobre o fluxo cambial no Brasil, além dos índices de bens exportados e importados nos EUA. No final da tarde, o Departamento do Tesouro norte-americano publicará dados sobre o orçamento mensal do país.

 

Contato