Em mercados / acoes-e-indices

Noticiário europeu anima e Ibovespa abre pregão em alta

Confiança alemã melhora mais que o esperado e reportagem diz que Espanha está pronta para pedir por resgate internacional

ações - corretores da bolsa - mercado financeiro - pregão
(Getty Images)

SÃO PAULO - Em linha com as bolsas internacionais, o Ibovespa abre o pregão desta terça-feira (16) com ganhos de 0,71%, aos 60.024 pontos, dando sequência à valorização de 0,74% observada na véspera. Além de uma agenda carregada nos EUA, os investidores acompanham o notíciario na Europa, onde a Espanha se aproxima cada vez mais do pedido de resgate e a confiança alemã dá sinais de melhora.

Assim, as ações da Transmissão Paulista (TRPL4, R$ 32,00, +2,24%), Braskem (BRKM5, R$ 14,13, +2,10%), Usiminas (USIM3, R$ 11,73, +2,00%), B2W Varejo (BTOW3, R$ 12,25, +1,66%) e CSN (CSNA3, R$ 11,68, +1,57%se destacam na ponta positiva do Ibovespa nesta manhã.

Alemanha e Espanha animam o mercado
Mais cedo, os mercados internacionais mostravam ganhos amparados na melhora na confiança econômica alemã. O índice ZEW, que mede a avaliação de analistas sobre a economia, mostrou uma melhora superior à projetada pelo mercado, passando de um número negativo de 18,2 em setembro para um também negativo 11,5 neste mês.

A Espanha também volta à cena. O britânico Financial Times publicou nesta manhã que a Espanha está pronta para pedir por ajuda internacional. Entretanto, o país busca apenas uma linha de crédito no BCE (Banco Central Europeu), para que este compre títulos públicos no mercado secundário, e não por dinheiro no fundo permanente de resgate. Ainda segundo o jornal, os governantes do país esperam por uma melhoria no cenário externo para pedir pela ajuda.

Também durante a manhã a imprensa internacional alertou que o país foi avisado pela Moody's sobre um corte iminente em seu rating. Na semana passada a agência de classificação de risco Standard & Poor's já cortou a nota do país, além de rebaixar mais 15 instituições financeiras nesta terça-feira.

Já em terras gregas, onde o governo ainda luta para conseguir chegar a um acordo sobre os cortes de gastos necessários para continuar a receber as parcelas do resgate, o pais conseguiu captar € 1,6 bilhão em um leilão de títulos de três meses, com um custo de captação menor que na última emissão, caindo de 4,31% para 4,24%.

Indicadores e resultados nos EUA
Na agenda desta terça-feira os investidores ainda se voltam para uma série de indicadores nos EUA, onde serão reveladas, às 10h15 (horário de Brasília), a produção industrial e a capacidade utilizada de setembro. O CPI (Consumer Price Index), que traz os números de inflação no país, veio em linha com o esperado, com alta de 0,6%. 

Por lá a temporada de resultados trimestrais se intensifica, com os números do Goldman Sachs, Coca Cola e Johnson & Johnson publicados momentos atrás. A instituição financeira superou as projeções de lucro e de receita, mas mesmo assim as ações recuam no pré-market. 

 

Contato