Ações de empresas ligadas a Trump sobem após DeSantis abandonar campanha presidencial

Ron DeSantis também declarou apoio a Trump em vez da concorrente republicana Nikki Haley

Reuters

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump (Chip Somodevilla/Getty Images)

Publicidade

22 Jan (Reuters) – As ações da Digital World Acquisition, empresa com propósito especial de aquisição designada para a abertura de capital da plataforma de mídia social do ex-presidente norte-americano Donald Trump, dispararam a uma máxima em 19 meses nesta segunda-feira, após o governador da Flórida, Ron DeSantis, encerrar sua candidatura presidencial para 2024.

Os papéis saltaram 55%, para US$ 41, o maior valor desde junho de 2022, depois que DeSantis interrompeu sua campanha no domingo, apenas dois dias antes das primárias em New Hampshire. DeSantis também declarou apoio a Trump em vez da concorrente republicana Nikki Haley.

As ações da plataforma de compartilhamento de vídeo Rumble, popular entre os conservadores, avançou 33%, para US$ 4,77, nesta segunda-feira. A empresa anunciou parceria com a empresa de mídia Barstool Sports.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A desenvolvedora de software Phunware, contratada pela campanha de reeleição presidencial de Trump em 2020 para construir um aplicativo para celular, saltou 40%, a 36 centavos de dólar.

A Digital World, no entanto, permanece abaixo da metade dos patamares observados em março de 2022, após a fusão da empresa com o Trump Media & Technology Group, que controla a plataforma de mídia social de Trump, Truth Social, enfrentar vários atrasos desde seu anúncio em outubro de 2021.

A Digital World Acquisition disse no mês passado que espera concluir sua fusão com a TMTG já no primeiro trimestre.

Continua depois da publicidade

Trump prometeu ficar exclusivamente no Truth Social depois de ter sido banido do Twitter após o ataque de 6 de janeiro de 2021 ao Capitólio dos EUA por seus apoiadores.

No entanto, ele retornou ao X, antigo Twitter, em agosto, meses após sua proibição ser revertida pelo novo proprietário da plataforma, Elon Musk.