Conteúdo editorial apoiado por

Ações da designer de chips Arm disparam 60% com perspectiva de fortes vendas

Alta reflete previsão de ganhos considerada surpreendentemente otimista por analistas, superando projeções do consenso

Bloomberg

Publicidade

As ações da designer de chips Arm Holdings Plc apresentaram salto de quase 60% na quinta-feira, depois que a empresa anunciar previsão de ganhos surpreendentemente otimista, mostrando que sua expansão para negócios além dos smartphones está impulsionando o crescimento. A receita no primeiro trimestre de 2024 será de US$ 850 milhões a US$ 900 milhões, conforme declarado pela Arm em um comunicado na quarta-feira, superando em muito as projeções dos analistas de US$ 778 milhões. Os lucros serão aproximadamente de 30 centavos, excluindo alguns itens, muito acima da estimativa de 21 centavos de Wall Street.

A perspectiva otimista reflete a inciativa de expansão do CEO Rene Haas para novos mercados, incluindo chips para servidores. Executivos da empresa afirmaram que a indústria de smartphones agora representa cerca de um terço das vendas da empresa, destacando o quão bem-sucedido a estratégia tem sido ao diversificar seus investimentos. Além disso, os celulares agora contêm mais tecnologia da Arm por dispositivo, ajudando a aumentar os pagamentos de royalties.

“Estamos envolvidos em praticamente todos os mercados finais”, disse Haas em uma teleconferência com analistas. “E praticamente todos os mercados estão adicionando mais poder de processamento aos seus dispositivos.”

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A notícia impulsionou a Arm para o seu maior ganho intraday desde sua oferta pública inicial (IPO) em setembro passado, atingindo uma alta recorde de US$ 106.

Haas e Jason Child, Diretor Financeiro da companhia, explicaram que os clientes da empresa estão migrando para uma nova versão de sua tecnologia chamada V9, que possui o dobro da taxa de royalties de seus antecessores. Eles também estão usando mais núcleos de computação Arm por dispositivo – mais de 100 nos novos chips de servidor da Microsoft Corp., por exemplo – o que amplia os royalties. A Arm também está ganhando participação de mercado de tecnologias concorrentes nos setores de data center e automotivo, afirmaram os executivos.

A joint venture da Arm na China foi uma “agradável surpresa positiva”, de acordo com Child. Ela contribuiu com 25% da receita total.

A Arm agora espera vendas de US$ 3,16 bilhões a US$ 3,21 bilhões no ano fiscal de 2024, que vai até março. Isso representa um aumento em relação à faixa anterior, que atingia $3,08 bilhões.

A receita cresceu 14% para US$ 824 milhões no terceiro trimestre fiscal. Excluindo alguns itens, o lucro foi de 29 centavos por ação. Wall Street havia previsto uma receita de US$ 760 milhões e ganhos de 25 centavos por ação.

A Arm desempenha um papel incomum na indústria de semicondutores. Ela licencia o conjunto fundamental de instruções que o software usa para se comunicar com os chips. A empresa também fornece os chamados blocos de design que empresas como a Qualcomm Inc. usam para construir seus produtos.

Sob a liderança de Haas, a Arm tem avançado na direção de fornecer layouts mais completos que podem ser levados diretamente para a fase de fabricação. Essa mudança a torna mais útil para alguns clientes, como empresas de computação em nuvem como a Amazon.com Inc., mas também mais concorrente para alguns clientes tradicionais, como a Qualcomm.

Com sede em Cambridge, Inglaterra, a Arm ainda é 90% de propriedade da SoftBank Group Corp., que adquiriu o negócio em 2016 por US$ 32 bilhões. Uma oferta pública inicial em 2023 levantou US$ 4,9 bilhões, marcando a maior estreia em uma bolsa dos EUA em 2023.

As vendas de licenças da Arm aumentaram 18% para US$ 354 milhões no último trimestre, e a receita de royalties cresceu 11% para US$ 470 milhões.

A lista de clientes da Arm abrange a indústria de tecnologia. A Apple Inc. usa seu conjunto de instruções para os processadores que alimentam o iPhone e os computadores Mac. A Amazon depende dos designs da Arm para seus processadores de servidor Graviton para data centers. E a Qualcomm e a MediaTek Inc. são grandes usuárias dos projetos da Arm para processadores de smartphones.

“O que você está vendo ganhar vida são todas as estratégias em que temos trabalhado por vários anos”, disse Haas na teleconferência. “Por melhores que sejam os últimos dois trimestres, estamos apenas no começo.”

© 2024 Bloomberg L.P.