Ações da Cemig recuam 4,5% após empresa divulgar seu guidance para 2010-2014

Papéis ocuparam o posto de segunda maior queda do Ibovespa; Citi avalia dados e lista sugestão neutra aos ativos

SÃO PAULO – As ações da Cemig (CMIG4) despencaram 4,46% nesta terça-feira (1), fechando cotadas a R$ 24,83, e ocuparam o posto de segunda maior desvalorização do Ibovespa, ficando atrás apenas dos papéis da Fibria (FIBR3). Vale mencionar que, fora do Ibovespa, os papéis ordinários da companhia (CMIG3) também tiveram queda na sessão, recuando 3%. 

Repercutiu para esta trajetória a divulgação do guidance de Ebitda (geração operacional de caixa) consolidado da geradora de energia para o intervalo de 2010 a 2014. Em meio ao cenário, o Citigroup publicou relatório avaliando os meandros do encontro anual com investidores realizado na última segunda-feira (31), bem como delineando o horizonte da companhia.

O banco norte-americano ressalta que a Cemig analisa oportunidades de crescimento, ao procurar por aquisições que ainda podem ocorrer em 2010. Segundo o CEO (Chief Executive Officer) Djalma Morais, a Light (LIGT3) será usada como veículo para futuras compras.

Sem riscos políticos, sem dividendos atrativos
Os analistas Marcelo Britto e Tahiana Reis destacam ainda que o CEO afastou possíveis temores sobre as eleições governamentais de Minas Gerais, dado que é interessante para qualquer um dos candidatos a manutenção da empresa em boa performance, de acordo com o executivo.

Por fim, o banco lista recomendação neutra para os papéis, ao avaliar que existem oportunidades pouco atrativas em termos de dividendos (dividend yield esperado de 5% em 2010 e 2011), abaixo das rivais, além de um espaço pequeno para a companhia vender energia a preços mais altos.