Ação da Rumo (RAIL3) fecha em queda de 6,2% após elevação de capex para projeto no MT; analistas ainda veem retorno atrativo

"No geral, mensagem era de exigência de capex substancialmente mais alta, o que normalmente se traduziria em retornos de projeto mais baixos", diz o Credit

Felipe Moreira

Publicidade

A Rumo (RAIL3) revisou para cima a previsão de capex (investimento) do projeto Lucas do Rio Verde para R$ 14 bilhões-R$ 15 bilhões, um aumento de aproximadamente 45% frente ao anunciado anteriormente. As ações fecharam em queda de 6,23%, a R$ 20,46, nesta sexta-feira (4).

O projeto terá implementação de natureza modular, realizada em fases, sendo que a primeira fase refere-se ao trecho de aproximadamente 211 km, entre as cidades de Rondonópolis/MT e Campo Verde/MT (Fase Rondonópolis-Campo Verde). A expectativa é que o processo de construção dure 3 anos, com início de operação previsto para o 1º trimestre de 2026.

“No geral, a mensagem era de exigência de capex substancialmente mais alta, o que normalmente se traduziria em retornos de projeto mais baixos. No entanto, esse efeito pode ser mais do que compensado por tarifas mais altas, uma vez que a competitividade melhorou substancialmente com custos de frete mais altos em rotas concorrentes”, comenta o Credit Suisse, em relatório.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Já o Itaú BBA destaca que este anúncio fornece visibilidade atualizada sobre o cronograma deste projeto, que não era claro para os investidores. O LRV é um projeto transformador para a Rumo, não só porque terá grande potencial de volume no médio prazo, mas também porque dará vantagem à empresa nas negociações de yield.

Analistas do BBA também ressaltam que a primeira fase para Campo Verde, por si só, já oferece potencial de retorno financeiro positivo, com uma taxa interna de retorno (TIR) real desalavancada de 12%-14%. Quanto maior o volume (até 30 milhões de toneladas), mais próxima a TIR se aproxima de 14%, segundo a Rumo.

Por outro lado, o valor de 12% estaria mais próximo do nível de 10 milhões de toneladas.

Continua depois da publicidade

Além disso, BBA considera positivo que a Rumo já tenha encontrado um parceiro estratégico para a construção de um terminal com capacidade de 10 milhões de toneladas em Campo Verde, o que deve ajudar a diminuir o risco do projeto.

Para BBI, a elevação dos investimentos necessários para execução do projeto Lucas do Rio Verde da Rumo pode ocasionar em um impacto negativo de R$ 0,20 por ação. No entanto, a Rumo espera atingir uma TIR desalavancada de 12%-14% (R$ reais), gerando R$ 3,30/ação.

“Essa TIR considera: 1) volumes incrementais vindos da região norte do estado de Mato Grosso, 2) a migração de grãos de Rondonópolis para o terminal de Campo Verde, e 3) um preço de frete ferroviário de R$ 304/tonelada de Campo Verde para Santos. Há também potencial de valorização da renovação do programa de incentivo fiscal da SUDAM que reduz a alíquota do imposto de renda em 75%”, explicam analistas do BBI.

O Itaú BBA mantém recomendação outperform para Rumo, com preço-alvo de R$ 24, o que representa potencial de valorização de 9,9% frente a cotação de fechamento da véspera (3) de R$ 21,82. Credit Suisse e BBI também recomendam compra das ações da Rumo, com preço-alvo de, respectivamente, R$ 21 e R$ 26.

A Eleven, por sua vez, tem recomendação neutra para o ativo. “Em nossa visão, o aumento da necessidade de capital para o projeto pode impactar a TIR prevista inicialmente, apesar da Rumo afirmar que se mantém intacta. Além disso, apesar de entendemos que a companhia tem espaço no balanço para seguir com os investimentos, os riscos de volumes com
intercorrências na safra e novos projetos alternativos na região trazem incertezas para retorno o projeto. Portanto, mantemos a recomendação neutra para RAIL3”, avaliam os analistas da casa, que possuem preço-alvo de R$ 21 para a ação.