M&A

Ação da Modal (MODL11) fecha com salto de 44,9% na Bolsa após anúncio de compra pela XP

Na avaliação de analistas do mercado, notícia é positiva para as companhias e representa uma aquisição estratégica para a XP

Por  Mariana Zonta d'Ávila -

As ações da Modal (MODL11) negociadas na B3 tiveram forte alta nesta sexta-feira (7), após o anúncio de compra pela XP Inc. (XPBR31).

Os ativos fecharam com salto de 44,91% na Bolsa brasileira, a R$ 12,10.

Segundo comunicado divulgado nesta manhã, a aquisição do Modal se dará com até 19,5 milhões de novas ações “Classe A” da XP – prêmio de 35% sobre o preço médio dos últimos trinta dias do Banco Modal.

Haverá uma transação para a negociação total por meio de uma reorganização societária, que resultará na incorporação do banco por uma subsidiária da XP Inc..

“Com a proposta de valor complementar dos ecossistemas e diversas alavancas para criação de valor (como relevantes e numerosas sinergias de receitas e de uso de dados), espera-se que a combinação dos negócios agregue valor de maneira consistente e sustentável aos acionistas de ambas as companhias”, escreve a XP, no comunicado.

Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) da XP Inc. (XPBR31) negociados na B3 fecharam com alta. Os recibos de ações subiram 1,45%, negociados a R$ 156,22.

Na Nasdaq (EUA), onde os papéis da XP estão listados, o movimento também foi de alta para as ações, encerrando a sessão com ganhos de 2,40%, negociados a US$ 27,74.

De acordo com a XP, a plataforma de investimentos desenvolvida pelo Banco Modal ao longo dos últimos anos, com uma solução bancária completa, será reforçada pela integração com o ecossistema XP e contribuirá para acelerar a oferta de produtos do Banco XP.

Ainda segundo o comunicado, o Banco Modal permanecerá independente e segregado, apesar de fazer parte do ecossistema XP. “Os sócios e executivos atuais da companhia estarão alinhados com nossos objetivos de longo prazo e continuarão administrando o Banco Modal como um ecossistema financeiro independente, procurando oferecer a melhor experiência para seus clientes.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na avaliação da Guide investimentos, a notícia é positiva e representa uma aquisição estratégica para ganho de participação de mercado da XP em prestação de serviços financeiros no mercado doméstico.

Já o Citi diz ver a  transação positiva para ambas as empresas: os acionistas da Modalmais obtêm um upside decente e, apesar de ser um valor implícito inferior ao de seu IPO, segundo o banco, a troca de ações entre as duas ações deprimidas reduz esse problema;

“A XP continua a expandir sua trajetória e deve ter sinergias interessantes com a Modal”, escreve, em relatório. O Citi tem recomendação de compra para as ações da Modal e neutra nos papéis da XP.

Em relatório, o Bradesco BBI também avalia que a incorporação da Modal pela XP é positiva para ambas as partes. Segundo os analistas, faz sentido para a XP ganhar ainda mais exposição ao segmento B2C, principalmente considerando a forte presença do Modal no mini mercado futuro (câmbio e indexadores).

Do ponto de vista do valuation, o banco estiva que seja acretivo, pois os múltiplos de aquisição estão com um desconto de 10% a 15% em relação ao múltiplo de preço sobre lucro da XP esperado para 2022. O BBI destacou que esperava uma reação positiva ao preço das ações do Modal, incorporando em grande parte o prêmio de cerca de 50% sobre o preço de fechamento de ontem.

Para o Morgan Stanley, embora relativamente pequena, a transação proposta acelera a investida do XP no setor bancário e de crédito e adiciona ao seu negócio de corretagem online. Segundo o time de analistas, o valuation do negócio parece razoável em relação aos múltiplos atuais da XP.

Por fim, o Itaú BBA escreve, em relatório, que o prêmio de 50% pago pela XP em relação ao último fechamento é robusto, mas ainda abaixo do preço do IPO e do valor justo estimado pelo banco, de R$ 20 por ação.

“A execução foi melhor do que a esperada nos primeiros nove meses de 2021 então, provavelmente, o tempo teria ajudado a liberar mais valor para os acionistas que aderiram à oferta pública inicial”, escrevem os analistas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar de não ter cobertura para os papéis da XP, o Itaú destaca que a aquisição pautou-se nos objetivos da empresa de ampliar sua exposição a uma plataforma digital de investimentos, bem como, à uma licença de banco transacional e experiência em banco digital.

“O recurso de ‘banco como serviço’ do Modalmais também deve ajudar a XP a fortalecer seus relacionamentos com clientes corporativos”, escrevem os analistas do BBA.

Ainda não investe no exterior? Estrategista da XP dá aula gratuita sobre como virar sócio das maiores empresas do mundo, direto do seu celular – e sem falar inglês

Compartilhe