Destaques da bolsa

Ação da Marfrig salta 6,5% com novas contratações; Oi cai até 10% após revisão de rating pela S&P

Confira os destaques da B3 na sessão desta sexta-feira (13)

SÃO PAULO – O Ibovespa acelerou a queda no final do pregão desta sexta-feira (13), mas conseguiu sustentar a alta de cerca de 0,5% na semana em meio às notícias positivas do exterior com a flexibilização monetária do Banco Central Europeu (BCE) e com o alívio da guerra comercial entre EUA e China. 

Em destaque de alta, esteve a ação da Marfrig (MRFG3, R$ 9,59, +6,44%) após a companhia anunciar mais contratações devido ao aquecimento das exportações para o mercado chinês.

As ações da Oi (OIBR3, R$ 1,05, -10,26%; OIBR4, R$ 1,52, -6,75%), por sua vez, tiveram forte queda e fecharam a semana em baixa apesar da aprovação no Senado do projeto das teles, que deve ajudar a destravar a venda de ativos da companhia (veja mais clicando aqui). Na noite de ontem, a agência de classificação de risco S&P revisou a nota de crédito da Oi e vê queda de receita da companhia. 

PUBLICIDADE

Confira os destaques:

Vale (VALE3, R$ 49,79, +0,20%)

As ações da Vale tiveram ganhos com o alívio nas tensões comerciais entre China e EUA, mas amenizaram a alta no final do pregão. 

O governo da China planeja retirar a tarifa retaliatória da soja e da carne suína comprada dos EUA. Donald Trump defende acordo total, mas pode avaliar algo temporário.

No radar da Vale, a mineradora informa que suspendeu trabalhos em uma frente de lavra na mina de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo (MG). Segundo a empresa, essa ação não impactará a produção da mina de Brucutu.

A suspensão atende a uma determinação da Agência Nacional de Mineração (ANM), embasada no entendimento da agência de que uma das frentes de lavra em execução excede os limites das reservas minerais aprovadas pela agência para a respectiva área.

PUBLICIDADE

“A Vale entende que todos os requisitos da agência para a execução de lavra foram atendidos e relatados no plano de aproveitamento econômico apresentado à agência em 2017”, escreveu.

A Vale reafirmou ainda seu guidance de vendas de minério de ferro e pelotas de 307 – 332 milhões de toneladas para 2019, anteriormente divulgado.

Quer investir em ações com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear – é de graça!

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, determinou a retomada das operações da usina de níquel Onça Puma, da Vale, com sede em Ourilândia do Norte (PA). As minas estavam paralisadas desde setembro de 2017, e a usina de processamento de níquel desde junho deste ano.

Além disso, o STF determinou a liberação dos depósitos judiciais aos indígenas Xikrin do Catete e Kayapo, que estavam bloqueados por conta da Mandado de Segurança impetrado pela Vale junto ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Para o Morgan Stanley, em relação à paralisação em Brucutu, a Vale tem a capacidade de mitigar o impacto da produção desde a parada, ajustando seu plano de mineração e extraindo mais minério das outras frentes.

Já sobre a operação de níquel da Onça Puma, o Morgan Stanley disse que a empresa poderá retomar as operações da mina e sua planta de processamento de níquel. “Em nosso modelo, a Onça Puma volta a ficar on-line apenas no 2T21 com capacidade de 26Mtpy”, destacou.

Ainda sobre a mineradora, a Vale informou que recebeu comunicado da Litel Participações, signatária do Acordo de Acionistas da Vale firmado em 14/08/2017, afirmando que, em 9 de setembro, foi aprovada pelos acionistas da Litel Participações a cisão parcial desta companhia, com versão da parcela cindida para sua controlada Litela Participações.

“Em consequência desta operação, a qual configura uma transferência permitida nos termos da Cláusula 9.17 do Acordo de Acionistas, foram transmitidas 808.746.864 ações de emissão da Vale, anteriormente detidas pela Litel, sendo 519.733.209 ações de emissão da Vale vinculadas ao Acordo de Acionistas. A Litela passou a ter como acionistas os mesmos acionistas da Litel”, escreveu.

“Considerando o fato de possuírem os mesmos acionistas, Litel e Litela manterão a mesma orientação de voto, devendo suas participações acionárias serem consideradas em conjunto para todos os fins do Acordo de Acionistas”, acrescentou.

Petrobras (PETR3, R$ 29,66, -0,57%;PETR4, R$ 26,88, -0,67%)

O Valor destaca que, após vender dois gasodutos terrestres, a Petrobras planeja reunir gasodutos marítimos do pré-sal em uma única empresa e, depois, fazer uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Segundo a publicação, o plano é valorizar o ativo e, com o IPO, privatizá-lo. A empresa ainda busca concluir este ano a reestruturação societária dos gasodutos que levam aos campos do pré-sal.

A Petrobras foi liberada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a retomar uma oferta pública de debêntures simples, que havia sido suspensa no dia 30 de agosto. O primeiro pedido previa montante inicial de R$ 3 bilhões.

A Petrobras divulgou novo cronograma da emissão. No dia 24 será encerrado o período de reserva e para o dia 25 está previsto o procedimento de bookbuilding. O início da oferta foi marcado para 8 de outubro, quando será disponibilizado o prospecto definitivo. Após dois dias, será iniciada a negociação das debêntures na B3 e, no dia 11 de outubro, será anunciado o encerramento da oferta.

Além disso, foi feito um ajuste na seção “capitalização” do prospecto preliminar para inclusão de dois possíveis cenários. A empresa prevê a possibilidade da colocação da totalidade das debêntures e a conclusão da oferta de troca de títulos e da oferta de recompra de títulos pela subsidiária Petrobras Global Finance BV, sem a adesão de quaisquer investidores. Com isso, não haveria dispêndio de caixa. Num segundo cenário, com a adesão de investidores, foi previsto dispêndio de R$ 13,41 milhões.

O dinheiro arrecadado será utilizado em projetos de exploração e produção de petróleo e gás natural, do contrato de cessão onerosa, e no reforço do caixa, segundo o prospecto divulgado inicialmente. A oferta será coordenada pelos bancos Santander, Bradesco BBI, Itaú BBA e pela XP Investimentos.

Bancos

Os bancos brasileiros registraram movimentos diversos, com queda do Banco do Brasil (BBAS3, R$ 47,14, -1,79), Bradesco (BBDC4, R$ 33,46, -1,30%), enquanto Santander Brasil (SANB11, R$ 45,20, +1,35%) e o Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 35,87, +1,36%) subiram mais de 1%.

No noticiário do setor, segundo o Valor Econômico, o Banco Central (BC) estuda a possibilidade de liberar parte dos compulsórios à vista para que as instituições financeiras possam usá-la como reserva para garantir as operações no sistema de pagamentos instantâneos (PI).

Marfrig (MRFG3, R$ 9,59, +6,44%)

A Marfrig contratará 400 novos funcionários para trabalhar em um segundo turno na área de desossa na planta de Promissão, em São Paulo. O novo turno será para atender ao aquecimento das exportações ao mercado chinês.

A China permitiu importações de duas plantas da Marfrig no início desta semana, aumentando para 11 o número de unidades da empresa que podem exportar para o país asiático.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) elevou para R$ 191,6 milhões, de R$ 163,3 milhões anteriormente calculados, o montante de créditos, Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), cedidos pela Eletroacre Distribuidora de Energia (Eletroacre), no âmbito do processo de privatização, à Eletrobras.

Segundo a empresa, o aumento de R$ 28,3 milhões decorre da adição de R$ 10,2 milhões de atualização da data base da Nota Técnica, passando de dezembro de 2017, para julho de 2019 (correção pelo IPCA).

Além disso, houve acréscimo de R$ 18,1 milhões referente aos pleitos realizados pela Eletroacre e Eletrobras, que foram acatados pela Aneel, destacando-se a exclusão de pagamento referente a competência anterior ao período de fiscalização e o reembolso do óleo combustível pelo preço faturado, ao invés do preço ANP, no período de julho/2009 a dezembro/2012.

GPA (PCAR4)

A varejista GPA informou, em continuidade ao projeto de simplificação das operações do grupo na América Latina, que foi aprovada, pelo Conselho de Administração e pela assembleia geral de acionistas do Éxito, a venda de sua participação indireta no GPA para o Casino. “Foi assinado entre Casino e Éxito o correspondente contrato de compra de ações”, destacou a empresa, em fato relevante.

Adicionalmente, foi firmado um pré-acordo entre o Casino e a Sendas, controlada do GPA, de acordo com o qual Sendas lançará oferta pública para aquisição da totalidade das ações de emissão de Éxito pelo preço de 18.000 pesos colombianos por ação e o Casino alienará na OPA a sua participação indireta total de 55.3% no Éxito para a Sendas.

“Com a conclusão dos atos mencionados acima, Sendas protocolará nos próximos dias o pedido de autorização da OPA perante a Superintendência Financeira da Colômbia. A conclusão da venda da participação acionária indireta que Éxito detém em GPA está sujeita à alocação da OPA”, afirmou.

“As notícias devem enviar um sinal positivo ao mercado, pois mostra que o Casino está realizando sua reestruturação proposta, com o próximo passo sendo uma migração no nível de governança corporativa do GPA para o Novo Mercado da B3. Além disso, na nossa opinião, o Casino está arrumando sua casa, pois as recente proposta do Carrefour (CA, Not Rated) de adquirir o Casino na França mostram que um M&A é uma saída possível para a atual situação de alta alavancagem do Casino”, destaca o Brasil Plural em análise. 

Oi (OIBR3;OIBR4)

A Oi informou que a Standard & Poor’s anunciou a revisão do rating de crédito atribuído à companhia, mantendo a classificação de longo prazo na escala global em B, mas reduzindo o outlook de estável para negativo, assim como, reduzindo na escala nacional de brA para brA-.

Sabesp (SBSP3), Sanepar (SAPR11) e Copasa (CSMG3)

O Brasil Plural iniciou a cobertura das empresas concessionárias de água e esgoto, com perspectiva positiva e preferência por Sabesp e Sanepar em relação à Copasa. Segundo o analista Vitor Sousa, apesar das altas recentes das ações, o segmento ainda está sendo negociado com desconto por meio de abordagens EV/RAB e TIR.

“Embora acreditemos que o desconto seja atualmente justificado, considerando a estrutura regulatória existente e a presença relevante de empresas estatais no segmento de água, acreditamos que as avaliações poderão recuperar se a nova estrutura reguladora for aprovada e o capital privado avançar através do segmento”, escreveu, em referência à MP 868.

Para Sabesp, a recomendação é Overweight, com preço-alvo para 2020 de R$ 62. O valor considera o potencial de privatização da companhia, que vem sendo manifestado e que poderá gerar ganhos adicionais significativos à frente se ela realmente ocorrer.

Sobre Sanepar, o Brasil Plural indica recomendação de Overweight, com preço-alvo de R$ 116. “Vemos a empresa negociando com um desconto expressivo sobre seus pares, apesar de seus fundamentos superiores”, destacou, acrescentando que a nova estrutura regulatória pode atenuar o risco regulatório e político da empresa.

Para Copasa, a recomendação é de Equal Weight, com preço-alvo de R$ 80 por ação. “Decidimos adotar uma posição neutra sobre as ações devido ao cenário ainda desfocado de privatização (em Minas Gerais) e aos fundamentos mais fracos da empresa, o que nos leva a acreditar que a avaliação é justa”, escreveu Sousa.

Localiza (RENT3)

A Localiza fará uma emissão de 500 notas promissórias, em série única, com prazo de vencimento de 731 dias, contados da data de emissão, no montante total de R$ 500 milhões. As notas promissórias farão jus a remuneração equivalente a 108,00% (cento e oito por cento) do CDI.

(Com Agência Estado e Bloomberg)