Destaques da bolsa

Ação da Embraer cai após UE suspender revisão de acordo com Boeing; ativo da B3 sobe após dados operacionais e Vale cai com China

Confira os destaques da B3 na sessão desta segunda-feira (11)

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após uma forte queda para o Ibovespa na sexta-feira com os investidores repercutindo a soltura de Lula depois de 19 meses e os seus efeitos no âmbito político, o índice registrou alívio na sessão desta segunda-feira (11), fechando com ganhos de 0,69%, na máxima do dia. Se, por um lado, houve ajuste, o que impulsionou principalmente as ações do setor de varejo e também aquelas que sofreram na última semana na esteira de resultados fracos, caso de IRB (IRBR3, R$ 36,45, +3,85%).

Por outro lado, alguns ativos repercutiram o noticiário internacional negativo com o impasse entre EUA e China, caso das ações de Vale (VALE3, R$ 48,13, -2,14%) e siderúrgicas. Na sexta, houve um revés no otimismo internacional por conta da mudança no discurso do presidente americano Donald Trump, que negou a reversão total das tarifas já impostas dentro da guerra comercial.

Também no radar da mineradora, está também a atualização de guidance de produção de minério de ferro, com corte nas estimativas de venda.

Aprenda a investir na bolsa

Ainda em destaque, esteve a Embraer (EMBR3, R$ 17,80, -1,55%), que teve baixa após a União Europeia suspender revisão de acordo com a Boeing; já a CVC (CVCB3, R$ 43,70, -1,78%), que abriu em alta buscando recuperação após despencar 14% na sexta na esteira de resultados negativos, voltou a fechar em expressiva queda. No radar de balanços, Banrisul (BRSR6, R$ 21,58, -1,78%) fechou em baixa, Alpargatas (ALPA4, R$ 29,00, +4,39%) subiu forte e Tecnisa (TCSA3, R$ 1,30, 0%) fechou estável.

Já a B3 (B3SA3, R$ 50,10, +2,87%) viu suas ações em alta de quase 3% após o número de investidores individuais subir 95% em um ano na bolsa. Segundo prévia operacional de outubro, mês passado, eram 1,536 milhão de investidores ativos, contra 787 mil de um ano antes. Em relação a setembro, houve alta de 6,5%.

“O mercado de renda variável tem cenário muito positivo, favorável para IPOs, com muitas empresas olhando para mercado de ações como possibilidade para levantar recursos para financiar o seu ciclo de crescimento”, ressaltou à Bloomberg Carlos Daltozo, head de renda variável da Eleven Financial.

Confira os destaques:

Embraer (EMBR3)

A Bloomberg informou que a União Europeia suspendeu a revisão do contrato da Boeing-Embraer em 5 de novembro, segundo documento arquivado no site da comissão.

Conforme os documentos, a UE não estabelece novo prazo para revisão e afirmou que “parou o relógio em sua investigação aprofundada”

PUBLICIDADE

Segundo a UE, isso é feito quando “as partes não fornecem oportunamente informações importantes solicitadas”. A revisão foi prorrogada por 10 dias em 25 de outubro.

Vale (VALE3)

A Vale atualizou seu guidance de vendas de minério de ferro em 2019, reduzindo a expectativa de venda para 307 Mt – 312 Mt, dada a maior visibilidade sobre as vendas previstas para o quarto trimestre, que deverá ficar entre 83 – 88 Mt.

Para o primeiro trimestre do ano que vem, a expectativa é que produção e vendas fiquem entre 70 – 75 Mt, em função da sazonalidade, do retorno gradual e seguro das operações e em linha com a estratégia de margem sobre volume.

A Vale informou ainda que revisou suas projeções de produção de cobre em 2019 para uma faixa entre 382.000 e 386.000 toneladas, principalmente em função de parada não programada de manutenção na correia transportadora e do moinho de bola da operação do Sossego – cuja retomada é esperada para meados de dezembro de 2019.

O colunista Lauro Jardim do jornal O Globo trouxe que o diretor jurídico da Vale, Alexandre D’Ambrosio, foi grampeado pelos investigadores da tragédia de Brumadinho. Em uma gravação feita dias antes do desastre, o executivo afirmou que para a Vale seria mais vantajoso pagar multa à Justiça do que compartilhar informações sobre a barragem de Maravilhas, em Minas Gerais.

A gravação foi feita dias antes do rompimento da barragem em Brumadinho, em 25 de janeiro.

Alpargatas (ALPA4)

A Alpargatas teve lucro líquido de R$ 58,5 milhões no terceiro trimestre deste ano, representando queda de 51,2% em relação ao ano anterior.

Segundo a empresa, a queda se dá pela base de comparação, que contou no mesmo intervalo do ano passado com evento não recorrente em ação judicial de exclusão do ICMS da base de cálculo da Cofins de R$ 189,2 milhões.

PUBLICIDADE

No trimestre, a companhia teve um Ebitda recorrente de R$ 155,5 milhões, alta de 36,3%, com margem de 15% (alta de 2,7 pontos porcentuais).

A receita líquida da Alpargatas atingiu R$ 1,037 bilhão, alta de 11,4%. “Todos os negócios da empresa cresceram dois dígitos no período”, afirmou a empresa.

No Brasil, as vendas de Havaianas e Osklen no conceito direct to consumer (DTC: mesmas lojas + e-commerce) apresentaram respectivamente alta de 10% e 13%.

Tecnisa (TCSA3)

A Tecnisa registrou prejuízo no terceiro trimestre um prejuízo líquido de R$ 52 milhões, reduzindo as perdas em comparação ao mesmo período do ano passado (-R$ 73 milhões) e na comparação com o segundo trimestre deste ano (-R$ 144 milhões).

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) foi negativo e R$ 39,5 milhões, desempenho 39% inferior ao resultado também negativo de um ano antes.

A receita líquida foi de R$ 75 milhões, revertendo um faturamento negativo de R 26 milhões de um ano antes e uma melhora de 58% sobre o segundo trimestre deste ano.

Para o Itaú BBA, o resultado da Tecnisa foi ligeiramente negativo, com um perda líquida acima do projetada, principalmente por conta de receitas patrimoniais piores e outras despesas. A frente operacional, porém, foi o destaque do trimestre, com vendas sólidas de unidades concluídas.

Marisa (AMAR3)

A varejista Marisa informou que engajou bancos de investimento para uma potencial oferta de ações. “Ressalta-se que, até o momento, a companhia não definiu e nem aprovou a efetiva realização da potencial oferta, seus termos e condições, ou qualquer outras possíveis operações para captação de recursos”, acrescentou.

IMC (MEAL3)

PUBLICIDADE

O conselho de administração da IMC aprovou a recompra de até 4,9 milhões de ações.

BR Properties (BRPR3)

A BR Properties definiu que sua oferta e ações poderá movimentar até R$ 996 milhões.

Banrisul (BRSR6)

O Banrisul registrou lucro líquido de R$ 291,9 milhões no terceiro trimestre deste ano – praticamente estável na comparação anual –, enquanto em nove somou R$ 947,3 milhões, um aumento de 19,0%.

O lucro líquido ajustado pelos eventos extraordinários totalizou R$ 917,5 milhões nos nove meses de 2019, alta 15,2%. Segundo o banco, o desempenho no ano reflete a relativa estabilidade da margem financeira, aumento das despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa, crescimento das receitas de tarifas e prestação de serviços e a relativa estabilidade das despesas administrativas.

O patrimônio líquido atingiu R$ 7,734 bilhões em setembro de 2019. O aumento de R$ 483,0 milhões ou 6,7% em um ano teve como origem a incorporação dos resultados gerados, pagamentos de juros sobre o capital próprio e provisionamento de dividendos, reclassificação para resultados de exercícios futuros e remensuramento do passivo atuarial, referente aos benefícios pós-emprego (CPC 33 – R1).

Os ativos totais apresentaram saldo de R$ 80,637 bilhões em setembro de 2019, com crescimento de 6,3% em um ano, proveniente, especialmente, do crescimento nos depósitos e nos recursos em letra.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A Eletrobras informou que sua subsidiária Eletrobras Termonuclear (Eletronuclear) solicitou formalmente à Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN, no último dia 7 de novembro, a extensão de vida útil da Usina Nuclear Angra I de 40 para 60 anos.

“Comunica, ainda, que iniciou tratativas para obtenção de financiamento com o US Eximbank, agência de crédito à exportação do governo dos Estados Unidos, no âmbito do US Brazil Energy Forum, para contratação de bens e serviços necessários para o projeto”, completa o comunicado ao mercado.

Hapvida (HAPV3)

A Hapvida informou a aquisição do Hospital das Clínicas de Parauapebas, pela Ultra Som Serviços Médicos S.A., subsidiária da Companhia, pelo valor total, incluindo dívidas, de aproximadamente R$16,0 milhões.

A conclusão da operação está condicionada ao cumprimento de determinadas condições precedentes, conforme previstas no respectivo contrato, incluindo a conclusão dos procedimentos de auditoria jurídica, contábil e operacional”, informou.

O HCP, localizado no município de Parauapebas (Pará), é um hospital de média complexidade e conta com 30 leitos hospitalares. “Com uma carteira existente de cerca de 18 mil beneficiários na região, a operação reforça a estratégia da Companhia de verticalização e internalização dos custos assistenciais.”

Após a conclusão da operação, o Hapvida atingirá 36 hospitais próprios, contribuindo para o fortalecimento de nossa estrutura de atendimento médico-hospitalar.

General Shopping (GSHP3)

A General Shopping informou que uma Assembleia Geral Extraordinária será realizada no dia 11 de dezembro para deliberar sobre a proposta de grupamento da totalidade das ações da companhia. A intenção da companhia seria o agrupamento à razão de 36 ações para 1 ação, alterando o número de ações em que se divide o capital da Companhia de 69,435 milhões para 1,928 milhão.

Banco Inter (BIDI11)

O Banco Inter teve iniciada a sua cobertura  pelo Goldman Sachs com recomendação de venda e preço-alvo R$ 11.

Unidas (LCAM3)

A Unidas, antiga Locamerica, foi rebaixada a market perform pelo Banco do Brasil.

B3 (B3SA3)

O número de investidores individuais subiu 95% em um ano na B3. Segundo prévia operacional de outubro, mês passado, eram 1,536 milhão de investidores ativos, contra 787 mil de um ano antes. Em relação a setembro, houve alta de 6,5%.

A B3 informou ainda que o volume financeiro médio diário de ações recuou 2,3% em outubro na comparação com o mesmo período do ano passado, para R$ 16,614 bilhões. Na comparação com setembro, houve alta de 0,8%.

O volume no mercado de derivativos subiu 35,9% em um ano, para R$ 4,455 bilhões. Sobre setembro, o aumento foi de 21,2%.

(Com Agência Estado e Bloomberg)

Invista contando com a melhor assessoria do mercado: abra uma conta gratuita na XP.