Day Trade

Ação da Ambev pode continuar rali até os R$ 100, alerta grafista

Papel está na sua máxima história e pode mostrar novos ganhos, afirma Luiz Eduardo Borges, da Strategic Invest

SÃO PAULO – No Day Trade desta sexta-feira (30), Luiz Eduardo Borges, analista técnico da Strategic Invest, traça uma operação de compra com as ações da Ambev (AMBV4). 

Na última sessão, os papéis da empresa registraram alta de 2,92%, terminando aos R$ 88,50, enquanto o Ibovespa fechou o dia com queda de 0,65%, aos 57.474 pontos.

“As ações da Ambev estão em tendência de alta desde setembro, atingiram seu topo histórico em 8 de outubro e romperam essa região na sexta, gerando uma boa oportunidade de compra”, afirma o grafista – que coloca o primeiro objetivo aos R$ 92,03.

Caso esse patamar seja rompido, Borges acredita que a ação possa vir a buscar os R$ 100,17. “O nível crítico para este trade é o suporte em R$ 80,74, que se rompido poderá reverter sua tendência atual de alta para baixa”, afirma o grafista, chamando a atenção para uma boa região para posicionar o stop loss.

O InfoMoney declara que:

Este material contém as opiniões atuais do analista, que estão sujeitas a mudanças sem aviso e que podem ser divergentes da opinião de outros profissionais ou do InfoMoney, que poderá publicar informações que não apresentem similaridade com as informações aqui fornecidas. Para elaborar este material, foram utilizadas informações obtidas de fontes que o analista e o InfoMoney acreditam serem idôneas e fidedignas, mas o autor ou o InfoMoney não garantem a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações.
O analista e o InfoMoney não se responsabilizam por nenhuma operação que for ou vier ser realizada pelos Investidores baseados nas informações aqui fornecidas, cabendo a eles, exclusivamente, a decisão de adquirir ou alienar valores mobiliários e o eventual ônus ou retorno financeiro decorrente de tal decisão. Este material não pode ser reproduzido ou redistribuído, no todo ou em parte, sem o prévio consentimento por escrito do InfoMoney.