De olho nos dividendos

A ação que um dos maiores investidores do Brasil está comprando na Bovespa

Após explicar sobre a tese nos investimentos em Vale e BB, que já rendem 150% este ano, Luiz Barsi comenta sobre sua nova aposta na Bolsa

Por  Paula Barra -

SÃO PAULO – Um dos maiores investidores pessoas físicas da BM&FBovespa, Luiz Barsi está aumentando sua carteira de ações. Em seu mais recente artigo publicado no site Suno Research, ele comenta sobre sua nova aposta na Bolsa: as units da Taesa (TAEE11).

Segundo Barsi, as units da elétrica despontam como uma das melhores oportunidade no mercado, levando em consideração seus elevados dividendos (11% de dividend yield, que corresponde ao dividendos pelo preço da ação), potencial fluxo comprador com a venda de ações de sua controladora Cemig e o fato de pouco ter andado na Bolsa este ano.

No artigo, Barsi lembra que para esse case foi adotada a mesma linha de pensamento que o guiou na compra das ações do Banco do Brasil e Vale, este ano, que subiram cerca de 150% na Bolsa, como foi comentado em seu último texto.

Confira abaixo a íntegra do último artigo da série “Ações Garantem o Futuro”, de Luiz Barsi:

Na semana passada, foi tratado os investimentos recentes e bem sucedidos em ações do Banco do Brasil e Vale. 

Para a tomada de decisão de investimento, a capacidade de distribuir dividendos de ambas as empresas representou um fator decisivo. Porém, as ações valorizaram fortemente desde o início do investimento. 

Muitos ficam felizes com a valorização das ações adquiridas pois isso representa uma valorização do seu patrimônio. Essa satisfação é legítima. 

Por outro lado, existe um “lado negro” da valorização das ações. Quando o preço das ações sobe, isso significa que você precisa de mais recursos financeiros para comprar a mesma quantidade de ações. 

Desta forma, se uma ação paga R$ 1,00 de dividendos por ano e suas ações custam R$ 10,00, esta ação paga 10% ao ano de dividendos. Se a ação se valoriza para R$20,00 o seu dividendo representa 5%. Desta forma o que era um bom negócio a R$10,00 passa a ser menos interessante a R$20,00. 

Por esse motivo, as compras de ações do Banco do Brasil e da Vale foram paralisadas. Neste preço adquirir ações destas empresas não me parecem o melhor negócio disponível. Porém, é importante frisar que as ações adquiridas não foram vendidas e permanecem em carteira gerando dividendos que serão utilizados para adquirir outras ações.

Uma ação que desponta como uma ótima oportunidade são as ações UNIT’s da Taesa (código TAEE11). 

A Taesa é uma empresa menos conhecida que Banco do Brasil e Vale. Um investidor não deve se dedicar a investir apenas nas empresas mais conhecidas. Muitas vezes as melhores oportunidades de investimento em ações são empresas menos conhecidas.

A Taesa é uma das maiores empresas do Brasil focada exclusivamente no segmento de transmissão de energia. A empresa possui os direitos de 29 concessões com quase 10 mil km de linhas de transmissão. 

 Assim, como BB e Vale, um dos fatores que gera interesse em ações da Taesa são seus generosos dividendos. A empresa paga dividendos de cerca de R$ 2,00 por ação por ano. Atualmente, suas ações seguem negociadas na casa do R$ 18,00, o que garante um dividendo de quase 11% ao ano, que é um dos maiores do Brasil atualmente.

Historicamente, a empresa paga cerca de 90% de seus lucros ao acionista como forma de dividendos. Por ser uma empresa controlada pela Cemig (estatal do setor elétrico do Estado de Minas Gerais) que passa por desafios financeiros, a Taesa acaba sendo uma fonte de geração de caixa para a estatal e o acionista se beneficia da farta distribuição de dividendos para abastecer o caixa da Cemig. O gráfico abaixo evidencia o excelente histórico de resultados da empresa:

Tabela Dividendos

Recentemente, a Cemig decidiu por vender parte de suas ações que suplantavam a quantidade necessária para manter o controle da empresa. Essas ações que agora estão disponíveis no mercado devem ampliar a liquidez do papel, o que pode atrair fundos de investimentos que antes não se interessavam pela empresa por conta da baixa liquidez. Esse interesse de fundos deve criar uma demanda que antes não existia por ações da Taesa, o que torna esta empresa ainda mais valiosa de agora em diante.

Em 2016, as ações do Banco do Brasil valorizaram-se cerca de 80%, as ações da Vale cerca de 120%. Já as ações da Taesa ficaram para trás e valorizam-se cerca de 20% no ano. O fato das ações da Taesa não terem valorizado como outras ações influencia na decisão de investimento.

É importante que o leitor não encare esta análise como uma sugestão de compra.  

Faça a sua análise!

O objetivo é apenas mostrar o racional por trás da tomada de decisão de investimento para aqueles que buscam montar uma carteira de ações que gere renda. E também inspirar aqueles que estão começando a investir.  

O investimento em ações sempre envolve riscos. Nas próximas semanas, trataremos de situações em que o investimento não teve o desempenho esperado. Erros irão ocorrer, é importante que o investidor esteja preparado de antemão para não se desesperar quando ocorrer.

Compartilhe