Top 10 do Ibovespa

8 “pesos-pesados” da Bolsa que puxaram o Ibovespa para mais um dia positivo

Petrobras, Vale, Itaú Unibanco, Itaúsa, BM&FBovespa e Banco do Brasil, que juntos respondem por 38% da carteira do Ibovespa, fecharam no azul

SÃO PAULO – O Ibovespa chegou ao seu 7º dia seguido de alta nesta terça-feira (25), mas o movimento de hoje foi bem mais ameno do que de pregões anteriores. O que teve contribuição direta para mais uma performance positiva do índice nesta sessão foi a alta das ações de “pesos-pesados” do índice: das 10 ações com maior participação no índice, apenas 2 registraram queda – sendo que o recuo delas foi menor que 1%. As 8 ações que subiram representam atualmente 38% da composição do benchmark da Bovespa.

A Petrobras (PETR3; PETR4) conseguiu “ignorar” o corte de rating feito pela Standard & Poor’s na véspera e registrou ganhos neste pregão. Os ativos ordinários avançaram 0,79%, a R$ 14,05, enquanto os preferenciais subiram 0,56%, para R$ 14,48. Assim como a nota do Brasil, a agência reduziu o rating da petrolífera de ‘BBB’ para ‘BBB-‘, com perspectiva estável. Com a alta de hoje, os papéis da estatal atingiram seu 6º dia de valorização, com os ativos ordinários subindo 16,72% no período, enquanto as ações preferenciais já avançaram 15,35%. 

“Obviamente o custo da dívida para as companhias brasileiras deve apresentar elevação, o que é ruim, principalmente, para as companhias que não aproveitaram a janela de emissões de dívidas”, afirma a XP Investimentos em relatório. Nesse cenário, a Petrobras é a que possui melhor condição em relação à captação, pois já realizou duas captações neste ano.

PUBLICIDADE

Se as ações já mostraram tanta volatilidade, as opções de compra de Petrobras tiveram um comportamento ainda mais agressivo. Como possuem um valor de face bem menor do que as ações, as “calls” (opções de compra) apresentam uma valorização percentual muito maior do que o papel da empresa – já que um centavo a mais nas opções é muito mais representativo do que nas ações.

Enquanto isso as opções para comprar ações da Petrobras em abril a R$ 12 – negociadas com o código PETRD12 – saltaram 170,97% nos últimos 6 pregões, indo de R$ 0,93 para R$ 2,52. As calls com mesmo vencimento a R$ 13 subiram 292,50%, indo de R$ 0,40 para R$ 1,57. Já as opções para comprar Petrobras a R$ 14 até o mês que vem foram de R$ 0,14 para R$ 0,76 – alta de 442,86%.

Vale e siderúrgicas
Com o segundo maior peso na carteira teórica do Ibovespa, os papéis da Vale (VALE3+0,78%, R$ 30,82; VALE5+1,66%, R$ 27,61) também ajudaram para o dia positivo. Além da mineradora, as siderúrgicas Usiminas (USIM5, +2,58%, R$ 9,95) e CSN (CSNA3, +1,63%, R$ 9,95) também subiram. Juntos esses ativos representam quase 13% da carteira do benchmark.

As ações refletiram as boas notícias vindas da China, onde aumentaram as chances do governo intervir para sustentar a economia do país após uma série de dados que indicam o crescimento mais fraco desde a crise financeira global.

Além disso, refletiu para a Vale também a informação de que o STF (Supremo Tribunal Federal) retomou nesta terça o julgamento do processo pelo qual a mineradora discute a cobrança de impostos sobre lucros de controladas localizadas em países com os quais o Brasil tem tratado para evitar a bitributação. A análise do caso estava suspensa por um pedido de vista do ministro Ari Pargendler desde novembro.

Bancos e BM&FBovespa também avançam
Com a terceira maior participação no Ibovespa, as ações do banco Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 32,45, +0,56%) e da Itaúsa (ITSA4, R$ 8,86, +0,57%) também registraram alta nesta sessão, dando sequência ao desempenho positivo do último pregão. Os papéis do Banco do Brasil (BBAS3, R$ 20,84, +0,24%), que possuem a 10ª maior participação no Ibovespa, também fecharam no positivo. O único banco com ações entre as 10 mais pesadas do Ibovespa a cair foi o Bradesco (BBDC4, R$ 28,86, -0,62%).

PUBLICIDADE

Na véspera o Bradesco teve alta de mais de 3% após o Credit Suisse elevar sua recomendação para os papéis de neutro para outperform (desempenho acima da média), listando as ações do banco como suas preferidas no setor. Além disso, os analistas do Credit também reiteraram a recomendação outperform das ações do Itaú.

Fechando a lista das “top 10” do Ibovespa, as ações da BM&FBovespa (BVMF3) tiveram leve alta de 0,10%, a R$ 10,42.