Em magazineluiza

Magazine Luiza pode ter melhor melhor Black Friday de sua história e ações saltam 4,6%

Empresa estima venda de mais de 500 mil itens, mas fontes afirmam que projeção é conservadora

Magazine Luiza
(Divulgação/Shopping Iguatemi Fortaleza)

SÃO PAULO - Não foi apenas Jeff Bezos - CEO da Amazon e homem mais rico do mundo - que teve motivos para comemorar nesta sexta-feira (24). Aproveitando o clima de Black Friday, as ações do Magazine Luiza (MGLU3) foram destaque dentro do setor varejista na bolsa brasileira, fechando na máxima do dia com alta de 4,67%, cotadas a R$ 61,45.

Mais do que uma simples empolgação pelo dia em que as pessoas gastam mais, a alta dos papéis da companhia bem superior de seus pares pode sinalizar um otimismo dos investidores em relação ao resultado da Black Friday.

Segundo o Magalu, estima-se que mais de 500 mil itens foram vendidos nesta semana, mas fontes próximas da empresa acreditam que essa estimativa é "conservadora". É possível que a empresa tenha tido neste ano a melhor black friday da sua história, afirmam.

"Acredito que isso [a Black Friday] pode sim ter ajudado um pouco nas ações, é só ver que a Via Varejo também subiu bem (VVAR11, R$ 22,65, +3,19%)", diz um gestor de recursos que acompanha o setor de e-commerce na bolsa. Outras varejistas focadas em comércio eletrônico, como B2W (BTOW3, R$ 17,42, -1,02%) e Lojas Americanas (LAME4, R$ 15,30, -0,33%) caíram nesta sessão.

O gestor também citou os dados recentes de inflação, que indicaram uma surpreendente desaceleração na alta dos preços, o que pressiona os juros e é bom para o varejo em geral. "Magalu em especial continua igual um foguete e com os fundos de ações ainda muito 'underweight' (exposição abaixo da média). Qualquer novidade faz as ações subirem com mais facilidade", afirma o gestor, que pediu anonimato.

 

Contato