Em linx

Linx Pay: o serviço de pagamento que fez uma ação disparar 40% na bolsa

Lançamento da Linx Pay garantiu saltos de 8,4% na quinta-feira e 28% na sexta

maquininha
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Relativamente fora do radar nos últimos meses e após cair 25% no acumulado do ano, a ação da fabricante de software Linx está passando por um momento de estrela de cinema na bolsa nos últimos dois dias, graças a um lançamento aclamado pelo mercado.

Desde o anúncio, na última quinta-feira (18), da nova subadquirente Linx Pay, a ação da empresa na bolsa (LINX3) chegou a saltar 40% entre o fechamento de quarta-feira e a máxima desta sexta. A alta nesta tarde é de 26,82%, ante tímido 0,48% do Ibovespa. 

O Linx Pay é um sistema que, através das maquininhas da parceira Rede, captura, gerenciamento e liquidação de transações, além de emissão de cupons fiscais, gateway de pagamentos, entre outros, para pequenas e médias varejistas. A empresa fala em vender este produto para metade de sua base de clientes (50 mil comerciantes).

Após apresentação do produto para analistas, ou “sell side”, os comentários de analistas a respeito foram positivos praticamente na totalidade.

“É para seguir comprando”, cravam analistas do BTG Pactual após conhecerem o projeto. A iniciativa “parece uma enorme oportunidade mesmo considerando metade dos números levantados pela empresa”.

Eles explicam: ainda que apenas 30% dos R$ 250 bilhões anuais transacionados pelas varejistas clientes migrem para a Linx Pay, em vez dos 50% projetados, as vendas da fornecedora chegariam a R$ 455 milhões apenas nesta frente. Isso é 70% do que foi projetado para a empresa neste ano antes deste lançamento. Em outras palavras, a chance de o balanço não superar o que o mercado vinha precificando tornou-se muito baixa.

No Credit Suisse, analistas veem na subadquirente uma “grande oportunidade para os clientes atuais da companhia, uma vez que ela poderá oferecer não apenas software, mas também serviços de cartão, pré-pagamento e relatórios de reconciliação mais eficientes”. A estimativa destes especialistas é que uma pequena varejista pode dobrar a geração de receita com uso da nova tecnologia integrada ao restante dos serviços da Linx.

Para investir em ações de bom desempenho com CORRETAGEM ZERO, abra aqui uma conta na Clear. 

É justamente nesse ganho em eficiência que a empresa pretende vender seu produto. “O Linx Pay contempla todos os serviços e funcionalidades que nossos clientes precisam hoje, mas que também serão úteis em um futuro próximo”, explica Denis Piovezan, diretor executivo da unidade de negócios Linx Pay Hub.

Segundo o executivo, “a solução também tem como objetivo gerar leads orgânicos na presença digital, além de permitir integração com outros sistemas da Linx, como plataformas omnichannel, transferência de fundos e demais ferramentas de gestão”.

O omnichannel, vale lembrar, tem feito decolar varejistas que sabem como utilizá-lo – caso do Magazine Luiza, que se tornou nesta semana a empresa mais valiosa do Brasil neste setor. “Projetos de omnichannel são o que mais contribui para o aumento de receitas de serviços”, diz Fred Mendes, do Bradesco BBI. “Mantemos nossa visão mais otimista para o setor no médio/longo prazo”. O analista via upside de 56% para quem tivesse o papel em carteira com preço do fechamento de quinta-feira (R$ 16).

 

Contato