Em laep

Juiz manda prender ex-governador de RN, contratado pela Laep em 2010

Justiça condena Fernando Freire a 6 anos de prisão por crime de peculato, apropriação indevida de dinheiro público e pagamento de multa de R$ 217,2 mil

SÃO PAULO - A Justiça condenou o ex-governador do Rio Grande do Norte, Fernando Freire, que foi contratado pela Laep (MILK33) como diretor estaturário em 2010, a seis anos de prisão por crime de peculato, apropriação indevida de dinheiro público e pagamento de multa de R$ 217,2 mil. A decisão é do juiz da 4ª Vara Criminal de Natal, Fábio Wellington Ataíde Alves.

A acusação sobre Freire refere-se a um esquema de corrupção no período de 1995 a 2002, quando ele era vice-governador do RN. Segundo o TJRN, o ex-governador, juntamente com a servidora pública Katya Maria Medeiros Caldas Acioly, respondiam pelo crime de concessão de gratificação de representação de gabinete, através de cheques salário. 

Freire teve passagem pela Laep. Na época de sua contratação, em março de 2010, ele já era investigado por corrupção, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

Vale lembrar que a Laep está envolvida em uma série de escândalos. O Ministério Público Federal e CVM (Comissão de Valores Mobiliários) acusam a empresa de fraude, lesão grave aos acionistas minoritários, suspeita de desvio de recursos, esvaziamento de patrimônio, descumprimento da obrigação de divulgação de fatos relevantes, entre outras irregularidades. Mais de 60 processos administrativos foram abertos na CVM para investigar as atividades da empresa, que captou mais de R$ 1 bilhão com ofertas de papéis no Brasil. No ano passado, a Justiça optou por bloqueio dos bens da empresa e de seu controlador, Marcus Elias.

 

Contato