Em jbsfriboi

CVM investigará se JBS lucrou com delação premiada, diz jornal

Segundo o Valor Econômico, a companhia comprou US$ 1 bilhão horas antes da delação premiada que fez a moeda disparar na quinta-feira

JBS
(Bloomberg)

SÃO PAULO - Preocupada com a imagem negativa gerada por todos os escândalos envolvendo a JBS (JBSS3), a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) iniciará uma investigação para apurar a suposta compra de dólares feita pela companhia horas antes da delação premiada pelos donos da companhia e a venda de ações pelos controladores no mês passado, segundo apurou o jornal Valor Econômico. 

Segundo informações que circulam pelo mercado, a JBS comprou grandes quantidades de dólares no final do pregão de quarta-feira (17) horas antes de estourar o escândalo envolvendo os donos da companhia e o presidente Michel Temer. Levando em conta o fechamento do dia da compra, a moeda disparou R$ 0,27 frente o fechamento de quinta-feira (18).

A posição, que pode superar US$ 1 bilhão de acordo com o Valor, teria sido feita através de diversas corretoras de câmbio por ordem da JBS. O inusitado de tudo isso é que toda operação não teria sido feito pelo Banco Original, apurou o jornal. Vale destacar que a instituição financeira pertence ao grupo JBS. 

Insider
A autarquia também pretende apurar a venda maciça de ações feita pelos controladores no mês de abril. Segundo informações publicadas pela própria CVM no último 10 de maio, os acionistas controladores da empresa venderam 23.474.460 de ações JBSS3 entre os dias 20 e 28 de abril, a um preço médio de R$ 10,30. Assim, eles totalizaram uma venda de R$ 242,3 milhões em ações cerca de três semanas antes de explodir novos escândalos envolvendo a companhia.

Obviamente, não é possível cravar que os controladores venderam as ações já sabendo que más notícias surgiriam em maio. Contudo, outra informação que vale a pena destacar é que, em 10 de fevereiro, o Conselho de Administração da JBS aprovou um programa de recompra de até 10% das ações da companhia em circulação no mercado. O programa, com duração de até 18 meses, envolve a compra de até 151.844.207 ações, ou seja, R$ 1,8 bilhão ao preço de fechamento no dia do anúncio.

 

Contato