Em imoveis

Baixa renda evitou recessão ainda maior no setor imobiliário, diz presidente da Abrainc

 Luiz Antonio França foi o entrevistado do programa Imóveis, apresentado por Ricardo Reis, estruturador de negócios e fundos imobiliários

SÃO PAULO -  A recessão da economia brasileira afetou em cheio o setor imobiliário. As empresas demitiram e precisaram equalizar o caixa para passar pelo período de forte queda nas vendas de imóveis. "Quando o PIB (Produto Interno Bruto) sobe, o PIB do nosso setor sobe mais ainda. Em contrapartida, quando o PIB cai, o setor imobiliário sofre mais. Foi o que aconteceu. Passamos por uma retração importante e o setor  seguiu essa queda", disse Luiz Antonio França, presidente da Abrainc ( Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), durante o programa Imóveis, apresentado por Ricardo Reis, estruturador de negócios e fundos imobiliários.


Segundo ele, a queda só não foi maior porque o segmento de baixa renda manteve um bom ritmo de vendas. "O segmento do baixa renda teve uma resiliência importante. Como a demanda é muito grande, por conta do déficit habitacional, esse segmento continuou a produzir. Senão nós teríamos muito mais desemprego e a queda da arrecadação tributária teria sido muito maior", explicou França.

Assista a entrevista completa clicando no player no início da matéria.

 

Tudo sobre:  Imóveis   PIB  

Contato