Em gafisa

Após lucro 82% acima do esperado, Gafisa comemora: "voltamos aos trilhos"

Durante encontro com analistas, executivos da companhia ressaltaram que mesmo com forte fluxo de caixa, projeções para 2014 não são alteradas

Imóveis Prédios
(Wiki Commons)

SÃO PAULO - O complicado cenário para o setor imobiliário levou os investidores à terem cautela com as construtoras na bolsa, que em 2014 já sofreram bastante. Porém, surpreendendo o mercado, a Gafisa (GFSA3) reportou um forte resultado no quarto trimestre, com um lucro líquido de R$ 921,3 milhões no quarto trimestre, favorecido pela venda da Alphaville no período - as estimativas mais animadoras apontavam para um lucro de R$ 506,3 milhões.

Em teleconferência o diretor executivo da companhia, Alceu Duílio Calciolari, e o diretor André Bergstein afirmaram que estão satisfeitos com o resultado, que mostram que a empresa está se recuperando de um período recente bastante complicado. "Voltamos para os trilhos", destacou o presidente da companhia. Segundo os executivos, a companhia conseguiu atingir seus objetivos, com redução de endividamento e alavancagem.

"Nos últimos períodos nossa prioridade não era a geração de caixa. Nós queríamos um ciclo de desenvolvimento sustentável para a companhia", afirmaram Calciolari e Bergstein. Sobre o fluxo de caixa, os dois ainda afirmaram que a geração de caixa livre positiva de R$ 178 milhões no quarto trimestre não altera o guidance de 2014, onde é esperado um fluxo de caixa próximo de zero.

Sobre os custos, Bergstein explicou que a companhia foi favorecida neste último trimestre com uma grande reversão de custo adicional em obras onde a companhia tinha feito provisão anteriormente. Segundo ele, a Gafisa havia feito provisões em 2011 em obras consideradas de menor visibilidade, principalmente como forma de criar um "colchão" de segurança. Porém, muitos desses recursos não precisaram ser utilizados e agora, com o fim dessas obras, ocorre a reversão desses gastos.

Um dos pontos que chamou atenção dos analistas fora do resultado foi a abertura de um programa de recompra de ações no valor de R$ 32,9 milhões feito em dezembro - até fevereiro, a companhia já adquiriu R$ 15 milhões. Durante a teleconferência, os executivos explicaram que o valor para este programa é fruto do saldo que havia sobrado do programa de recompra de ações encerrado pela Tenda.

 

Contato