Em gafisa

Imobiliárias lideram ganhos do Ibovespa na semana, com Gafisa subindo 16,14%

Na semana em que nenhuma das 68 ações do índice recuaram, três das cinco maiores altas foram de ações do setor imobiliário

SÃO PAULO - Em uma semana positiva para o setor imobiliário, as ações Gafisa (GFSA3) fecharam a semana como o principal destaque de alta dentre as ações que compõe o Ibovespa, com valorização de 16,14%, cotadas a R$ 5,90, enquanto o benchmark da bolsa brasileira subiu 7,39% entre os dias 10 e 14 de outubro. Registrando alta nos quatro pregões da semana, os papéis GFSA3 apresentaram o maior avanço na quinta-feira (13), quando relataram ganhos de 8,95% naquela sessão.

Outras empresas do setor imobiliário figuraram entre as maiores valorizações do Ibovespa na semana. É o caso da PDG (PDGR3, R$ 7,16, +14,56%), Cyrela (CYRE3, R$ 13,54, +14,07%) e Rossi (RSID3, R$ 10,25, +12,76%), que relataram a 3ª, a 5ª e a 7ª maior alta dentre as ações que fazem parte da composição da carteira teórica do índice. Com isso, o IMOB, índice de ações que acompanha as imobiliárias, terminou a semana com variação positiva de 8,68%, indo aos 801 pontos.

Prévias operacionais
Durante a semana, foram divulgadas prévias operacionais de empresas do setor. Na terça, a EzTec (EZTC3) anunciou que suas vendas contratadas no terceiro trimestre de 2011 alcançaram R$ 161,3 milhões, um avanço de 35,7% frente ao período análogo do ano passado. Assim, a companhia soma vendas de R$ 634,8 milhões no ano, alta de 16,3% superior aos nove primeiros meses de 2010.

Já a Cyrela, que também reportou seus dados operacionais na terça-feira, teve lançamentos de R$ 1,757 bilhão no terceiro trimestre de 2011, valor 29,2% maior do que o registrado no mesmo período em 2010. Com isso, o total anualizado para R$ 4,56 bilhões, 48,0% superior ao volume lançado no mesmo período no ano anterior.

Tendo funcionado como um gatilho para o desempenho do setor, as ações da Gafisa podem estar respondendo à expectativa de números favoráveis em seus resultados prévios. Isso, somado à semana positiva do mercado brasileiro, contribuiu para o rali dos papéis GFSA3, que já foram bastante prejudicados nesse ano - mesmo com a alta desta semana, esses ativos acumulam perdas de 49,80%, a quinta maior dentre os papéis que compõem o Ibovespa, além de também ser a pior imobiliária do índice no ano.

Novo corte na Selic?
Vale mencionar que os investidores também já podem estar precificando um novo corte da taxa básica de juro brasileira durante a reunião do Copom (Comitê de Pólítica Monetária) que acontecerá na próxima semana. A redução na Selic geralmente traz efeitos positivos para as empresas do setor imobiliário, já que, segundo especialistas, o juro básico mais baixo mantém as taxas de financiamento imobiliário mais baratas, aumentando a demanda por imóveis.

 

Contato