Em franquias

Os 4 erros que podem matar sua franquia

Problemas de perfil do franqueado, financeiros, de localização, gestão e relacionamento são alguns que podem levar uma franquia ao fim

SÃO PAULO – As franquias podem ser uma boa aposta para quem deseja ter seu próprio negócio e garantir independência. Entretanto, sempre é preciso considerar a taxa de mortalidade das franquias, quais as chances de ela não sobreviver ao mercado. Atualmente, essa taxa é de 3,7%, mas pode chegar a 24%, segundo dados do Sebrae.

Isso só reforça a importância de escolher com cuidado e avaliar todas as chances de risco de sua possível franquia. Ricardo Camargo, diretor da ABF (Associação Brasileira de Franquias), explica que são diversos os fatores que podem levar uma franquia a fechar – e que é preciso ficar atento a eles. “O impacto é altamente significativo. Pode ser um problema de falta de percepção de valor na marca ou uma questão mercadológica, por exemplo”, disse ao Pequenas Empresas, Grandes Negócios.

Problemas de perfil do franqueado, financeiros, de localização, gestão e relacionamento são alguns que podem levar uma franquia ao fim. Confira os demais fatores a que você precisa se atentar:

Ponto comercial
O local de sua franquia é essencial para saber se ela terá futuro ou não. Analise o movimento, o local, se ele é perigoso, etc. “Muitas vezes, a franquia faz uma projeção baseada em um movimento do local. Se começam uma obra ou muda algo na região, o ponto muda e isso prejudica”, disse Camargo.

As franquias de comércio são as que mais precisam tomar cuidado, já que as de serviço tendem a ser menos sensíveis a esse fator.

Análise de perfil
A maioria das franquias inclui uma entrevista para avaliar o perfil do franqueado no processo de escolha; o franqueador analisa se o empreendedor tem as características necessárias para a operação.

Caso o franqueado não possua o perfil e habilidades necessárias para manter o negócio, pode acontecer de a marca ficar “manchada” e ter prejuízos, por isso o cuidado com a escolha.

Relacionamento
A comunicação com todos os envolvidos em uma franquia – franqueador, clientes, fornecedores e outros franqueados – deve ser bem estruturada e sempre efetiva. “O que pode acontecer é o franqueado não estar satisfeito com a marca, não gostar do franqueador, que, por sua vez, não escuta o franqueado. Problemas de opinião ocasionam um racha”, diz Camargo.

Gestão e finanças
O franqueador deve transmitir conhecimento para o franqueado, responsável por administrar a franquia – e nos padrões dela. Antes de investir em uma franquia, procure analisar se todos os envolvidos na operação terão margem, para não correr o risco de perder fluxo de caixa.

 

Contato