Em energiasbr

Fim de captação bilionária é ótimo gatilho para EDP Brasil no curto prazo, diz Haitong

A companhia explicou que o valor levantado será usado para reduzir os índices de endividamento e financiar investimentos de capital e despesas operacionais

energia_bloomberg

SÃO PAULO - Os últimos meses têm se mostrado positivos para as companhias elétricas, que após anos complicados com as intervenções do governo começam a se recuperar na Bolsa com altas significantes. E agora a EDP Energias do Brasil (ENBR3) caminha para aliviar seu negócio após uma grande captação feita para um aumento de capital.

Na noite de terça-feira (7), a companhia publicou um comunicado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) informando que foi encerrado o prazo de subscrição no aumento de capital e que 98,3% das novas 130 milhões de ações foram subscritas, ou seja, 128,3 milhões. Com isso, a companhia garantiu R$ 1,5 bilhão de seus acionistas, com um preço de R$ 11,50 por ação. De acordo com a empresa, os pouco mais de 2 milhões de papéis que restam serão ofertados entre 10 e 17 de junho.

Segundo os analistas da Haitong, não bastasse o desempenho positivo dos últimos pregões, a conclusão da operação de aumento de capital pode ser um ótimo gatilho de curto prazo para que as ações sigam em alta. Para eles, esta grande procura já era prevista por conta do preço de subscrição, que está abaixo dos atuais R$ 13,00 que estão as ações. A companhia explicou que o valor levantado será usado para reduzir os índices de endividamento e financiar investimentos de capital e despesas operacionais.

Segundo os analistas, além desta operação, as altas atuais são sustentadas pelo desempenho mais fraco que os pares nos últimos 30 dias. Eles comparam como exemplo, o desempenho de alta de 2,5% da Energias do Brasil contra os 8,9% da Equatorial. Em 2016, os papéis ENBR3 acumulam ganhos de 13,60%, enquanto nos seis pregões de junho até o momento a alta chega a 6,39%.

 

Tudo sobre:  Energia   Ações  

Contato