Em embraer

Embraer assina acordo para venda de divisão comercial à Boeing - e mercado já se atenta ao próximo evento

No dia 26 de fevereiro, está marcada uma assembleia extraordinária para aprovar o acordo

Embraer ERJ-175
(Wikimedia Commons)

SÃO PAULO - A Embraer (EMBR3) e Boeing assinaram na última quinta-feira (24) uma série de acordos para a venda da divisão de aviação comercial da companhia brasileira para a Boeing.

A fabricante de aviões anunciou também a intenção de pagar dividendos de US$ 1,6 bilhão aos acionistas em 2019 pela parceria com a Boeing. O pagamento está condicionado à confirmação de certos requisitos, como o resultado da empresa.

O acordo leva à criação de uma nova empresa, a NewCo, avaliada em US$ 5,26 bilhões. A Boeing será controladora da empresa, com uma fatia de 80%, ao fazer um pagamento de US$ 4,2 bilhões (o equivalente a R$ 16,4 bilhões) à Embraer. A brasileira ficará com os 20% restantes, fatia que poderá vender para a norte-americana a qualquer momento, por meio de uma opção de venda.

A Embraer também marcou para 26 de fevereiro uma assembleia extraordinária de acionistas para aprovação do negócio - e este será o próximo evento a ser monitorado pelo mercado.

Segundo o Bradesco BBI, o acordo não deverá ter problemas para ser aprovado no dia 26, considerando que foi aprovado por unanimidade pelo Conselho de Administração da Embraer. Isso aumenta a probabilidade do BNDES e da PREVI (com uma participação combinada de 10%) votarem de forma favorável. Além disso, o dividendo extraordinário a ser pago é um estímulo a mais para a aprovação.

Os analistas do banco mantêm recomendação outperform (desempenho acima da média do mercado) para os ADRs (American Depositary Receipts) da Embraer, com preço-alvo de US$ 31 para 2019, que pressupõe a aprovação e conclusão desta transação.

Aproveite as oportunidades do mercado: abra uma conta de investimentos na XP - é de graça!

 

 

Contato