Em embraer

Maior alta do Ibovespa no ano, Embraer entrará em "semana-chave" para 2013

Entre os dias 17 e 23 de junho será realizado a Paris Air Show, onde a fabricante de aeronaves brasileira apresentará sua nova geração de E-Jets

Embraer Legacy 600
(Divulgação/Embraer)

SÃO PAULO - Começa na próxima semana o maior evento de aviação do mundo, o Paris Air Show. Esta será a 50ª edição do encontro, que já existe a mais de 100 anos e será realizada entre os dias 17 e 23 de junho, contando com a participação da brasileira Embraer (EMBR3).

O evento irá ocorrer no Aeroporto de Le Bourget, na França, onde a Embraer exibirá os jatos ERJ 135 e EMBRAER 190. Além disso, pela primeira vez no show aéreo, a Embraer Defesa & Segurança vai mostrar o Super Tucano pertencente à Força Aérea da Mauritânia em exposição estática. Durante o encontro, diversas fabricantes de aeronaves do mundo mostram seus produtos a possíveis clientes, sendo uma boa oportunidade para realização de novos contratos.

A area comercial da companhia irá realizar uma coletiva na segunda-feira (17) enquanto a parte de defesa e segurança irá realizar discurso na terça-feira (18). A última edição, realizada em 2011, foi bastante positiva para a companhia, que recebeu diversas encomendas de jatos. De 2005 pra cá, o evento sempre ocorreu a cada 2 anos.

Oportunidade de novos contratos
Mesmo sem a confirmação da Embraer, alguns analistas acreditam que durante o evento deve ocorrer o anúncio oficial da segunda geração dos E-Jets, considerado o principal negócio da empresa. Para os analistas Stephen Trent, Juliano Navarro e Raian Santos, do Citi Research, essa nova geração teria novos motores mais modernos e eficientes e poderia colaborar para manter a base de clientes da empresa.

Se por um lado a companhia pode ser favorecida por novos pedidos, por outro os custos para a Embraer podem pesar. O trio de analistas afirma que essa nova geração de jatos pode significar um custo elevado para a companhia sem a geração de receitas, pelo menos até 2018, quando as entregas devem ser feitas.

Já a longo prazo, a equipe do banco explica que esses novos aviões são construidos com mais assentos do que a antiga geração, o que os torna concorrentes diretos de produtos já existentes no mercado, podendo levar pressão de baixa para os preços.

Melhor desempenho no ano
Neste momento, de acordo com informações da Bloomberg, a Embraer acumula a maior carteira de pedidos de jatos regionais em cinco anos, com companhias aéreas dos Estados Unidos adquirindo aviões maiores. Já são 119 pedidos para aeronaves da série E-Jets, que somam um valor de tabela de cerca de R$ 5 bilhões.

Com esse cenário de expectativas e com o grande número de pedidos, as ações da companhia apresentam um bom momento em 2013. Enquanto o Ibovespa acumula perdas de quase 18% no ano, a Embraer apresenta a maior valorização dentre os 71 papéis.

 

Contato