Em eletropaulo

Credit vê ação da Eletropaulo despencar e bater os R$ 5,00

Banco vê um cenário pior que esperado para a companhia, com baixo fluxo de caixa e bolha tarifária afetando os resultados a partir do terceiro trimestre de 2013 até 2015

torres de transmissão - energia elétrica
(Getty Images)

SÃO PAULO - O Credit Suisse atualizou seus números para a Eletropaulo (ELPL4) para os próximos trimestres e a situação não é nada boa. Segundo o banco, o cenário para a companhia é ainda pior do que eles esperavam, com os próximos anos apresentando uma perspectiva de fluxo de caixa bastante pequeno e sem dividendos à vista.

Com isso, o Credit decidiu manter sua recomendação underperform (abaixo da média do mercado) e ainda cortou o preço-alvo para as ações da empresa para R$ 5,00, o que representa um potencial de desvalorização para os ativos de 44,83%.

Os analistas Vinicius Canheu e Pedro Manfredini afirmam que o atual desempenho positivo das ações são conduzidos por aspectos técnicos e não por fundamentos. Nos últimos 18 meses, as ações da Eletropaulo já recuaram quase 80%. Para eles o impacto do retorno da bolha tarifária terá efeito negativo sobre o faturamento da empresa pelos próximos dois anos e meio.

"Esperamos que as perdas da Eletropaulo se acumulem ao longo do dois próximos anos, iniciando no terceiro trimestre de 2013", afirma a dupla em relatório. Além disso, eles explicam que a nova metodologia do Ibovespa, a ser implementada em 2014, normalize as negociações de ELPL4, mas que o peso dos ativos na carteira do índice caíam dos atuais 0,7%, para 0,3% em janeiro e 0,1% em maio.

Por fim, a equipe do Credit afirma que mesmo a Eletropaulo atraindo a atenção de investidores em relação à uma possível fusão ou aquisição, devido a situação financeira complicada da empresa, esse não é um fator de risco para o cenário apontado pelo banco, já que eles não veem nenhum comprador se interessando pela empresa sem uma definição sobre alguns riscos extrapatrimoniais da companhia, como a discussão sobre cabos inexistentes apontados em laudo para reajuste de preços.

 

Contato