Em educacao / guias

Dicas de como fazer seu orçamento funcionar

Estabelecer um mecanismo de controle de gastos não garante que a sua vida financeira vai melhorar; é preciso refletir sobre os seus gastos

SÃO PAULO - Ao elaborar um orçamento, você deve estar ciente de algo bastante importante: não basta controlar os gastos, é preciso refletir sobre eles.

Você tem idéia de quantas contas paga todos os meses? Controlar todos esses pagamentos é uma tarefa difícil e pode levá-lo a desviar-se do seu objetivo principal que não é apenas reduzir, mas melhorar a qualidade dos seus gastos.

Abaixo, selecionamos algumas dicas de como fazer o seu orçamento funcionar:

  • Tenha metas realistas
    Assim como em uma dieta, não adianta impor-se limites impossíveis, pois você logo desanima. Planejar cortar todos os gastos com lazer, ou reduzir suas despesas de alimentação pela metade, simplesmente fazendo uma refeição a menos, não são metas realistas.

    Ao invés de tentar cortar gastos em todas as categorias de despesas, foque nos itens que mais pesam no seu orçamento. Um corte de 5-10% nestas categorias pode fazer uma grande diferença e o esforço pode não ser tão grande.

  • Planeje-se para o inesperado
    Controlar os gastos correntes mensais é importante, pois dá uma idéia do seu padrão de vida. Mas, é importante planejar também os gastos anuais como presentes de natal, férias, manutenção de carro, IPVA etc. Como não ocorrem todos os meses, é fácil esquecer destes gastos: faça as contas de quanto eles irão lhe custar. Planeje-se, de forma a montar uma reserva para fazer frente a estes gastos.

  • Coloque o seu plano no papel
    Por mais determinado que você seja, é importante formalizar o processo de planejamento e definição de metas. Ao colocar no papel os seus planos e objetivos, você se lembra deles mais facilmente. Fica mais difícil de "esquecer" o planejado.

  • Não desanime com os obstáculos
    Depois de três meses de sucesso alcançando suas metas, no quarto mês você derrapou, cedeu ao impulso e gastou mais do que deveria. Não use isso como desculpa para abandonar o seu planejamento: admitir fracasso não vai ajudá-lo a pagar as contas no final do mês!

    Lembre-se: todos nós falhamos em algum momento de nossas vidas, no trabalho, como cônjuge, pai etc. Você não é o primeiro. Abrir mão do que conquistou não vai ajudar em nada. Aprenda com os seus erros e siga em frente.

  • Tenha metas de curto prazo
    Se você tem uma dívida grande no cartão, provavelmente tem como meta zerá-la. Mas é provável que isso demore algum tempo para acontecer. Neste caso, vale a pena estabelecer metas intermediárias, a cada dois meses, de redução da dívida. Desta forma você percebe o progresso e continua, senão corre o risco de desanimar.

  • Reveja periodicamente seu orçamento
    Dedique um dia do mês para controlar o seu progresso e, se necessário, promover ajustes no seu plano. Caso esteja falhando em alguma área, procure entender o motivo.

  • Não se esqueça de você
    Quase todos nós temos como meta poupar, mas acabamos dando prioridade para outras despesas e, quando percebemos, não sobrou o suficiente. Só há uma forma de reverter isso: estabelecer algum tipo de poupança compulsória, destinando automaticamente uma parte a sua renda para investimentos.

Mas, não se esqueça: é preciso encontrar o equilíbrio. Seu planejamento só irá dar certo se, além de uma mudança de atitude, você não se esquecer de se premiar de tempos em tempos. A idéia não é transformá-lo em um pão duro, mas ajudá-lo a equilibrar o prazer do consumo hoje, com os benefícios de se poupar para o futuro.

 

Contato