Em educacao / guias

Você sabe diferenciar as pragas digitais e se proteger delas?

À medida que são desenvolvidos programas de segurança contra as fraudes conhecidas, novas formas das pragas surgem

SÃO PAULO - Segurança digital é um assunto sério. Apesar de alguns acharem que hackers e crackers não passam de pessoas sem ter o que fazer, o prejuízo que podem causar em seu computador - e até na sua conta bancária - se você não for cuidadoso.

Os números endossam a seriedade: no Japão, por exemplo, o total de crimes virtuais registrados em 2005 ficou em 3.161, saltando quase 52% em relação ao ano anterior, enquanto o número de queixas envolvendo fraudes virtuais subiu para mais de 84 mil casos, ou 9,2% em relação a 2004, segundo dados da polícia japonesa.

No Brasil, por sua vez, o prejuízo causado pelas fraudes virtuais foi de R$ 300 milhões no mesmo período, segundo o Instituto de Peritos em Tecnologias Digitais e Comunicações (IPDI).

Você sabe diferenciar pragas virtuais?

O leque de inimigos do PC é bastante diverso. Na medida em que são desenvolvidos programas de segurança que dêem conta das pragas digitais de que se tem notícia, as fraudes virtuais progridem, se diferenciando e tomando novas formas.

No começo da internet, eram comuns e-mails contendo mensagens de pedidos de ajuda, com histórias engenhosas incluindo doenças ou negócios mirabolantes convencendo o usuário a doar quantias de dinheiro ao remetente, que sumia pouco depois: eram os chamados scams.

Outro dos antigos, que é temido até hoje apesar de ser um dos primeiros a aparecer, é o vírus. Os mais mal-intencionados se instalam no micro (cavalo de tróia) e formatam o disco rígido. Para piorar, é comum o vírus se auto-enviar para toda a lista de contatos do dono do computador, causando mais dano ainda.

Cada vez mais sutis

Atualmente, os vilões do computador estão cada vez mais sutis, mas alguns ainda se aproveitam de usuários desatentos ou pouco desconfiados para poderem atuar. Um exemplo são os spams, e-mails não solicitados, com conteúdo publicitário na maioria das vezes.

Quando fraudulentos, os spams dão abertura para o phishing, procedimento que permite a invasão do PC através de mensagens falsas em nome de instituições que levam os usuários a clicar em links que iniciam o download de vírus e afins, como keyloggers, que são programas capazes de captar tudo o que é digitado, como senhas de banco e que, em geral, vêem associados a outros vírus, como o cavalo de tróia.

Na verdade, os keyloggers são um tipo de spyware, pragas preferidas dos criminosos virtuais. Instalados através de programas gratuitos ou integrados em sites online, os spywares monitoram o acesso do usuário e roubam suas senhas e dados pessoais.

Por isso é muito importante ficar atento a todos os recursos disponíveis, como filtros de conteúdo, ou firewalls, além das novidades, como os pacotes de correção anunciados pelas fabricantes de softwares, ou patches, para a segurança da sua máquina, evitando assim se tornar parte das estatísticas.

 

Contato