Em educacao / guias

Balança comercial: entenda como ela afeta o crescimento do PIB no ano

Mercado aposta em maior superávit comercial no ano, o que deverá levar a um maior crescimento do PIB no período

SÃO PAULO - Que o bom desempenho do setor externo vem se destacando no noticiário e trazendo impacto favorável sobre a economia, isto todo mundo sabe. Afinal de contas, a balança comercial vem registrando uma performance bastante positiva, com as exportações atingindo patamares recordes nos últimos anos.

Neste ano não vem sendo diferente. Após registrar um superávit acumulado superior a US$ 29 bilhões até o final de agosto, o mercado aposta em um saldo comercial de US$ 40 bilhões no acumulado do ano. Mas o que isto tem a ver com a projeção de maior crescimento da economia brasileira no período?

Entendendo a balança comercial
Antes de tudo, comecemos entendendo o conceito de balança comercial. Conceitualmente, a balança comercial nada mais é do que a diferença entre as exportações e as importações de um determinado país. Por exportações, entendemos todo bem que o país vende para o resto do mundo, enquanto que importações são todos os bens que o país compra do resto do mundo.

Ou seja, se uma economia vendeu, no ano, US$ 80 bilhões para o resto do mundo e comprou US$ 50 bilhões dos outros países, então a balança comercial desta economia encerrou o período com saldo positivo de US$ 30 bilhões. Se levarmos em conta esta definição da balança comercial, então poderemos constatar que o superávit comercial crescerá à medida que as exportações crescerem e as importações se reduzirem.

Ainda há a possibilidade das exportações crescerem mais rápido que as importações, o que também garante uma maior expansão do superávit comercial. Para que as exportações cresçam mais rápido que as importações, é necessário, basicamente, que a economia do resto do mundo esteja indo bem, já que com uma maior renda, os outros países tendem a ampliar suas compras em relação à economia doméstica.

Isto é o que se conhece, na linguagem dos economistas, como "efeito repercussão". Isto é: quando uma economia está em processo de expansão, os seus parceiros comerciais também tendem a ser beneficiados, já que se alguém compra mais de um lado (em função da maior renda) então do outro lado está havendo uma maior venda.

E o que isto tem a ver com o crescimento do PIB?
Entendido isto, resta a pergunta: o que tem a ver o melhor desempenho da balança comercial com um crescimento mais expressivo do PIB (Produto Interno Bruto) de uma determinada economia? Bom, para que isto seja esclarecido, é necessário que se entenda o conceito de PIB. Do ponto de vista econômico, o PIB é uma grande "massa final" de tudo que é produzido ou comercializado dentro de um país em um determinado espaço de tempo.

Levando-se isto em conta, podemos decompor o PIB em quatro componentes básicos: o consumo das famílias, os investimentos privados, os gastos do governo e o saldo de transações com o exterior. Assim, quando o consumo privado aumenta, por exemplo, a economia tende a crescer mais, já que mais capital é injetado na economia. Quando uma empresa resolve ampliar seu nível de investimentos, por meio da expansão de sua planta, por exemplo, a economia também é afetada positivamente.

E da mesma forma, quando existe uma melhora do saldo da balança comercial, que afete positivamente o saldo de transações com o exterior, isto tende a se refletir de forma favorável sobre a economia, já que mais recursos estão entrando no país via exportações. Ou seja, se a aposta é de que a balança comercial vá registrar uma melhora, então isto quer dizer que mais recursos entrarão no país via exportações, impulsionando um maior crescimento do PIB doméstico.

 

Contato