Em educacao / guias

Análise técnica: conheça mais sobre os gaps formados nos papéis

Muito mais que espaços vazios, a formação carrega informações preciosas para o investidor sobre a tendência do mercado

SÃO PAULO - A trágica segunda-feira (6), marcada por uma queda de 15% por parte do Ibovespa, pode até sumir, por conveniência, da memória dos investidores brasileiros, mas marcará para sempre os gráficos das ações preferenciais classe A da Vale (VALE5) e as ordinárias da CSN (CSNA3). Não só pela extensa sombra inferior, mas também pelo gap na abertura.

Teoricamente, o gap representa "um intervalo de preços onde, no momento de sua ocorrência, nenhuma ação mudou de mãos", descrevem os instrutores da Leandro.Stormer. Tratando o movimento em um gráfico diário, o gap acontece quanto a máxima do dia atual é inferior à mínima do dia anterior, assim como o inverso é verdadeiro.

Entretanto, conforme o intervalo de tempo aumenta - por exemplo, passar de uma periodicidade diária para semanal - mais raros serão os gaps, ao passo que em um gráfico intraday a ocorrência é praticamente constante.

Assim como citado acima, os papéis da mineradora e da siderúrgica, drivers do Ibovespa, abriram a última sessão com um gap.

Tipos de gaps
Na análise técnica, existem quatro tipos de Gaps, sendo classificados como gaps de área, fuga, medida e exaustão.

  • gap de área: são gaps que ocorrem dentro de zonas de congestão, sendo estes fechados em poucos dias.

  • gap de fuga: formado quando o preço rompe um padrão ou acumulação, ressaltando a força compradora ou vendedora do movimento.

  • gap de medida: ocorre quando os preços seguem uma tendência definida de alta ou baixa, normalmente em dias de movimentos bruscos.

  • gap de exaustão: caracteriza o fim da tendência, ou seja, o mercado "cansou" do movimento. Necessariamente, um gap de exaustão não é seguido por novas altas, durante tendência de alta, ou, caso contrário, novas baixas.

História
Muitas vezes, os gaps se confundem a uma zona de suporte ou resistência importante. Para os japoneses, precursores da análise técnica, todos os gaps sempre serão fechados. Na verdade, a história nos mostra que existe uma grande probabilidade de que os gaps sejam fechados, mas nada que alcance a porcentagem de 100%.

Tendo em vista as observações, os gaps trazem uma série de informações relevantes ao investidor, pois vislumbram a intensidade do movimento ou uma possível reversão de tendência, muito mais que espaços vazios nos gráficos.

 

Contato