Zona do euro pode ter entrado em recessão no 2º semestre de 2023, diz Guindos, do BCE

Guindos disse que o rápido ritmo de desinflação na zona do euro em 2023 deverá desacelerar em 2024

Estadão Conteúdo

O vice-presidente do BCE, Luis de Guindos

Publicidade

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, disse nesta quarta-feira (10) que as perspectivas econômicas da zona do euro “estão inclinadas para baixo” e que o comportamento do crescimento está “mais decepcionante”. Segundo ele, é possível que o bloco tenha entrado em recessão técnica no segundo semestre de 2023.

Em discurso feito durante evento em Madri, capital da Espanha, Guindos disse ainda que o rápido ritmo de desinflação observado na zona do euro em 2023 deverá desacelerar em 2024 e pausar temporariamente no começo deste ano.

Guindos também reiterou que futuras decisões de juros do BCE continuarão dependendo de dados econômicos e que o atual nível das taxas “deverá dar substancial contribuição para a volta oportuna da inflação à meta” oficial de 2%, “se mantido por um período suficientemente logo”.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em dezembro, o BCE deixou suas principais taxas de juros inalteradas.