Coronavírus

SP vai aplicar 3ª dose da vacina contra Covid-19 em idosos a partir de 6 de setembro

Dose adicional vai ser utilizada com o imunizante que estiver disponível, independentemente da marca aplicada nas doses anteriores

Doria coletiva
(Reprodução)

SÃO PAULO – O governo do estado de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (25) que vai iniciar, a partir de 6 de setembro, a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 em pessoas que tenham a partir de 60 anos.

Durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, o governador João Doria disse que o tema vem sendo discutido pelo Comitê Científico desde a semana passada, e que a medida visa aumentar a proteção desse público, estimado em 900 mil pessoas.

Paulo Menezes, coordenador do Comitê Científico, afirma que, apesar da melhora dos indicadores de casos e mortes pela doença, a preocupação com a variante delta tem crescido ao redor do mundo.

“Observamos em outros países que, mesmo com boas coberturas vacinais, a variante delta se espalhou, se tornou dominante e, portanto, neste momento, entendemos que é um passo a mais na segurança de proteção da população mais vulnerável a possibilidade de receber a terceira dose, ou dose adicional”, afirmou.

João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência da Covid-19, afirma que a dose adicional vai ser utilizada com o imunizante que estiver disponível, independentemente da marca aplicada nas doses anteriores. O mesmo acontecerá com a vacina da Janssen – antes de dose única e que agora terá reforço.

Além disso, poderão tomar a dose extra apenas aqueles que já tomaram a segunda dose há pelo menos seis meses. “Isso é uma questão técnica. É a partir do sexto mês que há a possibilidade de queda da eficácia das vacinas”, explica Gabbardo.

Segundo ele, a inclusão de imunossuprimidos na terceira dose, principalmente de pacientes transplantados, ainda vai ser discutida em reunião e deve ser anunciada nos próximos dias.

Após a vacinação do grupo prioritário, a ideia é que seja feito um escalonamento, obedecendo os mesmos critérios utilizados até agora, ou seja, começando pelas faixas etárias mais velhas e terminando pelos mais jovens. O que vai ditar a velocidade da vacinação será a quantidade de imunizantes disponíveis.

Regiane de Paula, coordenadora do Programa Estadual de Imunização, reforça ainda que todos que receberam a segunda dose já estão cadastrados no site “Vacina Já” e que, portanto, não será preciso fazer novo cadastro.

PUBLICIDADE

Com relação à antecipação das doses das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, de Paula destaca que ainda são necessárias mais doses dos imunizantes para essa medida.

A notícia vem um dia após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciar a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 a partir do dia 15 de setembro. No caso do Ministério da Saúde, contudo, o imunizante escolhido para essa nova dose foi o da Pfizer.

A princípio, a chamada “dose de reforço” será aplicada em idosos com mais de 80 anos e pessoas imunossuprimidas. Essas pessoas devem ter tomado a segunda dose da vacina há pelo menos seis meses.

De acordo com o Vacinômetro, o estado de São Paulo já aplicou até esta quarta-feira 49,1 milhões de doses de imunizantes contra o coronavírus. Por volta das 13h30, cerca de 34% da população do estado já estava com o esquema vacinal completo.

Curso gratuito ensina a ter consistência na bolsa para ganhar e rentabilizar capital. Participe!