Saída de dólar supera entrada em US$ 18,668 bilhões no ano até 2 de outubro

O resultado do ano está diretamente ligado aos efeitos da pandemia de covid-19 sobre a economia

Estadão Conteúdo

(Shutterstock)

Publicidade

O fluxo cambial total do ano até 2 de outubro foi negativo em US$ 18,668 bilhões, informou nesta quarta-feira, 7, o Banco Central. No mesmo período de 2019, o resultado havia sido negativo em US$ 14,147 bilhões.

O resultado do ano está diretamente ligado aos efeitos da pandemia de covid-19 sobre a economia. Em meio à crise, investidores aceleraram em março e abril o envio de dólares a outros países, em movimento de busca por segurança. Em maio, porém, houve fluxo de entrada líquida de recursos no País. Nos meses de junho e julho, ocorreram saídas líquidas. Em agosto, houve novo saldo positivo.

No ano até 2 de outubro, a saída líquida de dólares pelo canal financeiro foi de US$ 52,342 bilhões. Este resultado é fruto de aportes no valor de US$ 359,029 bilhões e de envios no total de US$ 411,370 bilhões. O segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No comércio exterior, o saldo acumulado ficou positivo em US$ 33,674 bilhões, com importações de US$ 116,874 bilhões e exportações de US$ 150,548 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 19,980 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 53,498 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 77,070 bilhões em outras entradas.

Setembro

O fluxo cambial da semana passada (de 28 de setembro a 2 de outubro) ficou positivo em US$ 1,025 bilhão.

Continua depois da publicidade

O canal financeiro registrou na semana passada saída líquida de US$ 366 milhões. Isso foi resultado de aportes no valor de US$ 9,404 bilhões e de envios no total de US$ 9,769 bilhões. Este segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 1,390 bilhão no período, com importações de US$ 2,632 bilhões e exportações de US$ 4,022 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 378 milhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 874 milhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 2,771 bilhões em outras entradas.