Projeções

Receita: arrecadação deve acompanhar ciclo de recuperação no 2º semestre

Segundo Claudemir Malaquias, projeções para arrecadação de 2022 serão atualizadas na divulgação do relatório bimestral de receitas e despesas

Por  Estadão Conteúdo -

O Chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, afirmou nesta quinta-feira, 21, que a expectativa do governo é de que a arrecadação acompanhe o ciclo de recuperação da atividade no segundo semestre. Segundo ele, as projeções para a arrecadação de 2022 serão atualizadas na divulgação do relatório bimestral de receitas e despesas.

Malaquias ainda destacou que a arrecadação no primeiro semestre foi influenciada positivamente pelo crescimento do lucro das empresas, que resultou em um uma elevação das receitas com IRPJ e CSLL.

Em junho, esses dois tributos somaram R$ 34,269 bilhões, alta de 37,47% em comparação com o mesmo mês do ano passado.

O secretário especial da Receita Federal, Julio Cesar Vieira Gomes, afirmou, por sua vez, que as desonerações de impostos implementadas neste ano, como a do IPI, não prejudicaram a arrecadação no primeiro semestre. A receita do período foi de R$ 1,089 trilhão, recorde na série histórica. Gomes também enalteceu o resultado de junho, de R$ 181,40 bilhões, outro que foi o maior da série.

“Os números de junho são surpreendentes. É o recorde de uma série histórica bem longa iniciada em 1995 em todas as receitas, que incluem também os tributos, mas especialmente naquelas que são administradas pela Receita Federal”, destacou.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe