Problemas do transporte marítimo no Mar Vermelho podem se agravar com feriado chinês

Consultoria alerta que as próximas semanas serão “críticas” para o transporte marítimo global por conta da maior demanda que antecede o Ano Novo Lunar

Roberto de Lira

Contêineres empilhados em navio de carga no Canal de Suez, Mar Vermelho, no Egito (Camille Delbos/Getty Images)

Publicidade

Ao menos 822 navios, cerca de um terço da capacidade global de transporte, estão em risco de serem potencialmente afetados pelos ataques que têm acontecido no Mar Vermelho, segundo dados divulgados nesta semana pela empresa Drewry Shipping Consultants. Os navios têm disso alvo de ataques de militantes Houthi, baseados no Iêmen e apoiados pelo Irã.

A consultoria alertou que as próximas quatro a cinco semanas serão “críticas” para o transporte marítimo global e o tráfego da Ásia para a Europa e do Mediterrâneo para a Ásia, por conta da maior demanda que antecede o Ano Novo Lunar chinês, em fevereiro.

Várias empresas de transportes de cargas e contêineres têm sido obrigadas a desviar suas rotas que passavam pelo Canal de Suez e a contornar o Cabo da Boa Esperança, acrescentando vários dias de navegação, o que leva a custos de combustível mais elevados.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Philip Damas, diretor administrativo da Drewry, disse nesta semana que “há uma espécie de pânico na China com a disponibilidade de capacidade”, mas que acredita que o setor tem ampla capacidade para lidar com o congestionamento resultante, a escassez de equipamentos e as lacunas nos cronogramas.

Os últimos dados do Índice Mundial de Contêineres da Drewry, divulgados no dia 4, apontaram que o custo por contêiner de 40 pés subiu 61% em uma semana, para US$ 2.670. Esse custo está agora 88% maior do que as taxas médias de 2019 (pré-pandemia), de US$ 1.420.

Os índices das rotas Xangai-Roterdã e Xangai-Gênova mais que dobraram nas últimas duas semanas, aumentando 115% e 114%, respectivamente.

Continua depois da publicidade

Outro indicador da consultoria mostra que, nas principais rotas Leste-Oeste: Transpacífico, Transatlântico e Ásia-Norte da Europa e Mediterrâneo, 78 viagens canceladas foram anunciadas entre a semana 02 (8 de janeiro a 14 de janeiro) e a semana 06 (5 de fevereiro a 11 de fevereiro), de um total de 650 viagens programadas, representando uma taxa de cancelamento de 12%.

Ou seja, a Drewry prevê que 88% dos navios cumpram as suas viagens programadas nas próximas cinco semanas. “É crucial notar, no entanto, que esta situação poderá evoluir rapidamente devido aos desafios enfrentados pelas companhias marítimas no meio das questões emergentes no Mar Vermelho”, disse a consultoria.