Presidente do Fed de Richmond diz precisar de mais tempo antes de apoiar cortes nos juros

"Acho que é inteligente levar o tempo que precisarmos", disse Thomas Barkin em uma reunião do Clube Econômico de Nova York

Reuters

Presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin, em Jackson Hole, EUA 24/08/2023 REUTERS/Ann Saphir

Publicidade

NOVA YORK (Reuters) – O presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin, disse nesta quinta-feira que o banco central dos Estados Unidos tem tempo para decidir o que vem a seguir em termos de política monetária, enquanto espera por mais garantias de que a inflação está de fato voltando à meta.

“Acho que é inteligente levar o tempo que precisarmos”, disse Barkin em uma reunião do Clube Econômico de Nova York. “Ninguém quer que a inflação ressurja”, disse, “e dada a demanda robusta e um mercado de trabalho historicamente forte, temos tempo para construir essa confiança antes de iniciarmos o processo de redução da taxa básica”.

Barkin disse a repórteres, após seus comentários, que não quer julgar antecipadamente o resultado das futuras reuniões do Fed e se negou a dizer quando estará pronto para cortar os custos de empréstimos. Mas ele disse que é importante ver uma ampliação dos fatores que pressionam a inflação para baixo para ganhar confiança de que as pressões sobre os preços estão em uma trajetória sustentada de volta a 2%.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em seu discurso, Barkin disse que as pressões de preços parecia estar diminuindo antes de voltar a subir, e é por isso que ele quer ter certeza de que a inflação está realmente voltando para 2% antes de pedir uma mudança na política monetária.

“Estou esperançoso, mas ainda estou buscando mais convicção de que a desaceleração da inflação está se ampliando e é sustentável”, disse Barkin. No entanto, ele acrescentou que “grande parte da queda da inflação até o momento foi decorrente da reversão parcial dos aumentos de preços de bens do período da pandemia. A inflação de serviços de moradia e outros permanece mais alta do que os níveis históricos”.

“É possível que voltemos à economia pré-pandêmica sem problemas”, disse Barkin. Porém, “também é possível que o pouso seja um pouco mais instável, com pressão contínua sobre a inflação ou desafios de demanda que precisaremos combater”.

Continua depois da publicidade

Barkin destacou parecer provável que os próximos dados de inflação continuem a desacelerar. Ele também disse que os dados econômicos recentes têm sido “notáveis” por sua força.