PMI de serviços do Brasil avança para 54,8 em março, o mais alto em 20 meses

Segundo a S&P Global, setor mostrou seu melhor desempenho trimestral desde os três meses até junho de 2022; foi feito alerta de que a recuperação da demanda se deu às custas de pressões inflacionárias no setor

Roberto de Lira

Publicidade

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços no Brasil cresceu dos 54,6 registrados em fevereiro para 54,8 em março, atingindo assim o nível mais alto em 20 meses, informou nesta quarta-feira (3) a S&P Global. Com isso, o setor mostrou seu melhor desempenho trimestral desde os três meses até junho de 2022.

O PMI composto, que agrega os dados da indústria, foi a 55,1, também o mais alto em 20 meses.

Segundo a pesquisa, o resultado no mês foi impulsionado pela segunda recuperação mais acelerada nas vendas em pouco menos de um ano e meio. Tendências positivas de demanda e expectativas otimistas em relação ao futuro também encorajaram a expansão mais acelerada do emprego desde outubro de 2022.

Ebook Gratuito

Como analisar ações

Cadastre-se e receba um ebook que explica o que todo investidor precisa saber para fazer suas próprias análises

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Os dados dos subsetores mostraram os Serviços ao Consumidor como a área mais bem-sucedida no que diz respeito à atividade de serviços, mas foi a área de Finanças e Seguros que registrou a expansão mais acentuada em novos negócios. Já o subsetor de Imóveis e Serviços Comerciais manteve o ranking para ambas as análises.

Segundo Pollyanna De Lima, diretora associada econômica da S&P Global Market Intelligence, os provedores de serviços relataram na pesquisa uma melhoria na disposição dos clientes para gastar em relação aos últimos meses, que não só ajudou as vendas atuais, como também estimulou a criação de empregos e aumentou a confiança nas perspectivas econômicas.

No entanto, ela alertou que a recuperação recente da demanda se deu às custas de pressões inflacionárias mais altas no setor e que é provável que os consumidores notem aumentos mais pronunciados nos preços cobrados pela prestação de serviços nos próximos meses.

Continua depois da publicidade

“As pressões sobre os custos permaneceram consideravelmente mais altas na economia de serviços do que aquelas observadas no setor industrial, mas os esforços para reter clientes contiveram um pouco os aumentos nos preços por enquanto.”