PMI composto na zona do euro sobe para 47,9 em janeiro, com melhora da indústria

PMI específico de serviços caiu de 48,8 em dezembro para 48,4 em janeiro, a maior baixa em três meses, mas indicador industrial avançou de 44,4 para 46,6, o melhor nível em nove meses

Roberto de Lira

Publicidade

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro teve ligeira alta em janeiro, para 47,9 ante 47,6 em dezembro, atingindo assim o maior nível em seis meses, de acordo com dados preliminares divulgados nesta quarta-feira (24) pela S&P Global, em parceira com o banco HCOB. O dado é uma ponderação entres os resultados da atividade de indústria e de serviços na área da moeda comum europeia.

O PMI específico de serviços caiu de 48,8 em dezembro para 48,4 em janeiro, a maior baixa em três meses. Esse indicador ficou abaixo do consenso LSEG de analistas, que previ um PMI de 49,0.

Já o indicador industrial avançou de 44,4 para 46,6 na mesma comparação mensal, atingindo o melhor nível em nove meses e superando o consenso de analistas, que era de 44,8.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Embora o PMI composto tenha avançado, o fato de permanecer abaixo da linha média de 50,0 no dado preliminar sugere que a atividade econômica na região experimenta a contração mais profunda desde 2013 (se excluídos os primeiros meses da pandemia de covid-19, em 2020) .

Embora os produtores de bens tenham continuado a liderar a recessão, com a produção industrial a cair pelo décimo mês consecutivo em Janeiro, a queda na produção industrial foi a mais baixa registada desde Abril passado.

Para Cyrus de la Rubia, economista chefe do HCOB, o início do ano trouxe notícias positivas para a zona do euro, uma vez que a indústria de transformação experimenta um abrandamento da trajetória descendente testemunhada no ano passado.

Continua depois da publicidade

“Esta mudança positiva é evidente em indicadores-chave como a produção, o emprego e as novas encomendas. O setor exportador desempenha um papel fundamental na condução da melhoria, apresentando melhores condições face ao final do ano anterior”, comentou em nota

Sobre o momento ideal para que o BCE inicie um ciclo de cortes em suas taxas de juros, o economista afirmou que os indicadores de preços do PMI alinham-se com os sentimentos dos chamados “falcões”, que defendem esperar mais tempo.

“As empresas enfrentaram preços de insumos mais elevados e conseguiram repassá-los aos seus clientes. Como resultado, os aumentos de preços estão em total desacordo com o ambiente recessivo”, alertou.