Situação é grave

Pandemia se acelera na metade das Américas; Opas pede que autoridades do Brasil protejam população

Brasil está registrando o maior número de novas infecções na região, disse a diretora da Opas, Carissa Etienne

arrow_forwardMais sobre
mask for prevention of respiratory diseases, with the American flag painted. US pandemic concept. North america corona virus, risk of epidemic.
(RHJ/Getty Images)

BRASÍLIA (Reuters) – Novos casos de coronavírus estão se intensficando novamente em metade dos países das Américas, afirmou a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) nesta quarta-feira, pedindo ao Brasil que proteja sua população diante de infecções e mortes recordes.

No momento, o Brasil está registrando o maior número de novas infecções na região, disse a diretora da Opas, Carissa Etienne. Várias regiões do Brasil estão testemunhando um número recorde de infecções, e os leitos hospitalares estão quase lotados em mais da metade dos Estados do país.

Na terça-feira, o país registrou um recorde de 2.841 mortes em 24 horas, enquanto o novo ministro da Saúde prometia continuar as criticadas políticas do presidente Jair Bolsonaro, que tem minimizado a gravidade da doença.

“A situação do Brasil é um alerta de que manter esse vírus sob controle requer atenção contínua das autoridades e líderes de saúde pública para proteger as pessoas e os sistemas de saúde do impacto devastador desse vírus”, afirmou Etienne em um comunicado.

As taxas de transmissão estão “muito altas” em todas as regiões do Brasil, disse o gerente de incidentes da Opas, Sylvain Aldighieri. Ele disse que isso foi resultado de medidas de saúde pública “abaixo do ideal” durante o período de festividades de fim de ano e do Carnaval.

Medidas mais rígidas para controlar a transmissão são necessárias no Brasil, disse Aldighieri, e devem ser implementadas e monitoradas por todos os níveis de governo, federal, estadual e municipal.

De acordo com uma contagem da Reuters, a América Latina registra cerca de 22,9 milhões de casos da Covid-19 e 722 mil mortes, quase o dobro do número de vítimas da Ásia e da África contabilizadas juntamente.

As notícias da América do Norte eram mistas, à medida que a distribuição de vacinas nos Estados Unidos ganhava impulso. Os EUA e o México estão relatando uma queda nas novas infecções, mas os casos no Canadá estão se acelerando, especialmente entre os jovens adultos de 20 a 39 anos, disse a diretora da Opas, Carissa Etienne.

No entanto, ela disse que as vacinas são limitadas e os suprimentos enfrentam um gargalo, com apenas dois fabricantes fornecendo imunizantes por meio do esquema da aliança de vacinas Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da coalizão Gavi, para fornecer acesso equitativo às nações mais pobres.

PUBLICIDADE

Até o momento, cerca de 138 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 foram administradas nas Américas, embora apenas 28 milhões dessas vacinas tenham sido administradas na América Latina e no Caribe.

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.