Número de vítimas após terremotos na Turquia e Síria passa de 5 mil

Autoridades dos dois países confirmaram que milhares de edifícios colapsaram e que as condições climáticas atrasam trabalhos de resgate

Roberto de Lira

Terremoto na Turquia (Photo by Zana Halil/ dia images via Getty Images)

Publicidade

Passou de 5 mil o número de mortos confirmados na Turquia e na Síria após dois grandes terremotos ocorridos na segunda-feira (6), seguidos de dezenas de abalos secundários nos dois países. As autoridades dos dois países também confirmaram que milhares de edifícios colapsaram e que as condições climáticas têm dificultado os trabalhos de resgates das pessoas presas nos escombros.

Na região de Gaziantep na Turquia, epicentro do primeiro tremor de terra ontem (de 7.8 na escala Richter), a temperatura estará em torno de 4° a 6°C durante o dia, mas a previsão é que cairá durante a noite para -7°C. Em aldeias e regiões montanhosas, pode chegar a 15 graus negativos, segundo meteorologistas. Na Síria, as temperatura estão entre 10° a 11°C durante o dia e devem cair a  até -3°C à noite.

Na manhã desta terça-feira (7), o vice-presidente da Turquia, Fuat Oktay, informou que foram confirmadas as mortes de 3.419 pessoas no terremoto, com outras 20.534 feridas. No lado sírio da fronteira, as vítimas confirmadas são 1.602, elevando o número de mortos em ambos os países para 5.021. Uma estimativa da Organização Mundial da Saúde apontou que até 20 mil pessoas podem ter perdido a vida na catástrofe.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A agência de gerenciamento de desastres da Turquia (AFAD) disse que há relatos que 11.342s edifícios desabaram no país, dos quais 5.775 foram confirmados.

Além do clima frio, com ocorrência de neve em algumas regiões, a logística tem sido um desafio extra, uma vez que há cidades atingidas que ficam em zona muito remotas no sul da Turquia e no norte da Síria. A região de fronteira atingida se estende por quase mil quilômetros.

No norte da Síria controlado por rebeldes, equipes de resgate voluntárias disseram que não têm mais combustível e outras provisões necessárias para retirar as pessoas ainda presas sob os escombros de suas casas.

Continua depois da publicidade

A ajuda internacional está sendo enviada para a região por organizações como ONU, UE, OTAN e pelos governos dos Estados Unidos, Reino Unido, China, Rússia, Índia, Japão, Iraque, Irã, Austrália, Nova Zelândia, Grécia e Paquistão, entre outros.