IPC-Fipe desacelera para 0,26% em março e inflação alcança 1,18% no 1º trimestre

No acumulado de 12 meses, o índice avançou 2,87%, menor do que o esperado; seis dos sete componentes caíram ou ampliaram a deflação no mês: Habitação, Alimentação, Transportes, Saúde, Vestuário e Educação

Estadão Conteúdo

Publicidade

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 0,26% em março, desacelerando ante a alta de 0,46% de fevereiro e também em relação ao índice de 0,38% observado na terceira quadrissemana do mês, segundo dados publicados nesta quarta-feira (3) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

O resultado de março veio abaixo da mediana das estimativas de instituições de mercado consultadas pelo Projeções Broadcast, de alta de 0,35%, e ficou no piso das expectativas, que variavam de 0,26% a 0,37%.

No primeiro trimestre, o IPC-Fipe acumulou inflação de 1,18%. No período de 12 meses até março, o índice avançou 2,87%, também menos do que o esperado.

Continua depois da publicidade

No terceiro mês de 2024, seis dos sete componentes do IPC-Fipe perderam força, passaram a cair ou ampliaram deflação: Habitação (de 0,47% em fevereiro a 0,12% em março), Alimentação (de 1,04% a 0,78%), Transportes (de 0,86% a -0,04%), Saúde (de 0,36% a 0,28%), Vestuário (de -0,29% a -0,38%) e Educação (de 0,00% a -0,04%).

A exceção foi o item Despesas Pessoais, com avanço de 0,34% em março, após queda de 0,53% no mês anterior.

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Tópicos relacionados