Inflação ao consumidor na zona do euro acelera para 2,9% em dezembro

O núcleo da inflação, que exclui energia e alimentos, bebidas e fumo, ficou em 3,4% em termos anualizados em dezembro, ante 3,6% em novembro

Roberto de Lira

Publicidade

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro fechou o ano passado em 2,9% em termos anualizados, o que representou uma aceleração ante os 2,4% observados em novembro, de acordo com dados preliminares divulgados nesta sexta-feira (5) pelo Eurostat, o escritório de estatísticas da União Europeia. A estimativa para a inflação mensal foi de 0,2% em dezembro.

Os dados vieram quase em linha com o consenso Refinitiv de analistas, que previa uma taxa anual de 3,0%.

O núcleo da inflação, que exclui as variações de preços de energia e de alimentos, bebidas e fumo, ficou em 3,4% em termos anualizados em dezembro, ante 3,6% em novembro.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Os maiores responsáveis pelo repique da inflação em dezembro na área da moeda comum europeia foram os preços da energia, que ainda mostraram deflação (de -6,7%), mas num ritmo bem menor que em novembro (-11,5%).

A projeção para a inflação de alimentos, bebidas e fumo em dezembro é de 6,1%, abaixo dos 6,9% verificados um mês antes. Já a inflação de serviços ficou estável em 4,0%, segundo a prévia divulgada  hoje.

Entre as maiores economias da zona do euro, espera-se que a inflação anualizada na Alemanha tenha acelerado de 2,3% em novembro para 3,8% em dezembro, enquanto os preços da França passaram de uma variação de 3,9% para 4,1%, na mesma comparação. A projeção para a Espanha é de uma inflação estável em 3,3%, enquanto os preços na Itália recuaram de 0,6% em novembro para 0,5% em dezembro.