Georgieva, do FMI, se diz confiante em aterrissagem suave da economia global e prevê cortes de juros

Ela ainda disse que uma guerra prolongada entre Israel e o Hamas teria impacto nas economias globais

Lara Rizério

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva Foto: Mark Wilson/Getty Images)

Publicidade

LONDRES (Reuters) – O Fundo Monetário Internacional está “muito confiante” de que a economia global verá uma aterrissagem suave, disse a sua diretora-gerente, Kristalina Georgieva, nesta segunda-feira, acrescentando que as taxas de juro começarão a cair em meados do ano.

“Estamos muito confiantes de que a economia mundial agora está preparada para esta aterrisagem suave com que temos sonhado”, depois de alguns dos aumentos mais acentuados das taxas de juro em décadas, disse Georgieva no World Governments Summit Dubai.

Sobre a perspectiva de redução das taxas de juro nas principais economias, como os Estados Unidos, ela acrescentou: “Espero ver em meados do ano as taxas de juro caminhando na direção que a inflação tem seguido neste último ano.”

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Ela disse que uma guerra prolongada entre Israel e o Hamas teria impacto nas economias globais. “O que eu mais temo é a longa duração do conflito porque (se) ele continuar, o risco de repercussões aumenta”, disse a chefe do FMI.

“Neste momento vemos um risco de repercussão no Canal de Suez”, disse ela, referindo-se aos recentes ataques a navios no Mar Vermelho. “Mas se houver outras consequências não intencionais em termos do rumo dos combates, então eles podem se tornar muito mais problemáticos para o mundo como um todo.”

Tópicos relacionados

Lara Rizério

Editora de mercados do InfoMoney, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional, além de ficar bem de olho nos desdobramentos políticos e em seus efeitos para os investidores.