G7: estamos prontos para manter estabilidade e resiliência do sistema financeiro global

O G7 reforçou o compromisso com uma combinação de políticas macroeconômicas de crescimento que apoie a sustentabilidade fiscal e de preços no médio prazo

Estadão Conteúdo

(Shutterstock)

Publicidade

Em comunicado após reunião de ministros de Finanças e presidentes de bancos centrais, o G7 afirmou que continuará a trabalhar em colaboração com as autoridades reguladores para monitorar os desenvolvimentos do setor financeiro. O texto destaca ainda que os países estarão prontos para tomar as medidas apropriadas para manter a estabilidade financeira e a resiliência do sistema financeiro global.

“Reafirmamos que nosso sistema financeiro é resiliente, apoiado pelas reformas regulatórias financeiras implementadas após a crise de 2008, incluindo aumentos consideráveis nos níveis de capital e liquidez dos bancos, uma estrutura internacional para lidar de forma efetiva com quebras de instituições e um fortalecimento regulatório”, diz o documento divulgado.

O G7 reforçou também o compromisso com uma combinação de políticas macroeconômicas de crescimento que apoie a sustentabilidade fiscal e de preços no médio prazo. Para isso, defende que a política fiscal deve continuar a fornecer, conforme apropriado, apoio temporário para grupos vulneráveis impactados pelo aumento do custo de vida. “A atuação fiscal deve garantir a sustentabilidade no médio prazo e ser coerente com a orientação da política monetária em meio a pressões inflacionárias”, aponta o comunicado.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Nesse sentido, os líderes destacam que a inflação permanece elevada e os bancos centrais continuam “fortemente comprometidos em atingir a estabilidade de preços”. Dessa forma, buscam garantir que as expectativas inflacionárias permaneçam bem ancoradas, enquanto comunicam claramente as posições políticas para ajudar a limitar os impactos negativos em outros países.

O G7 reafirmou os compromissos cambiais de maio de 2017 e enfatizou a importância de promover reformas do lado da oferta, especialmente aquelas que aumentam o abastecimento e produtividade.

Ucrânia

Continua depois da publicidade

Sobre o confronto entre Rússia e Ucrânia, o G7 reforçou o apoio a Kiev contra a “agressão ilegal e injustificável” russa. O grupo destaca que o orçamento do apoio econômico à Ucrânia para 2023 e início de 2024 foi elevado a US$ 44 bilhões, o que permitiu a aprovação de um programa do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a Ucrânia no valor de US$ 15,6 bilhões.

“Continuamos comprometidos em combater qualquer tentativa de evadir e minar nossas medidas de sanção”, dizem. As estratégias incluem fortalecer o monitoramento das transações econômicas entre Rússia e outros países, tomar novas medidas em relação ao setor russo e monitorar de perto a eficácia dos limites de preços do petróleo produto russo e seus derivados.

Os ativos soberanos da Rússia em jurisdição dos países do G7 permanecerão bloqueados, segundo a declaração realizada pelas autoridades em 24 de fevereiro.

Tópicos relacionados