Independentemente do eleito

Edmar Bacha: Brasil está condenado ao baixo crescimento e à inflação alta

O economista ainda afirmou que, com exceção de Venezuela e Argentina, o Brasil tem a maior inflação do continente

Por  Estadão Conteúdo -

O Brasil está condenado a conviver com o baixo crescimento econômico e com a inflação em alta, caso Luiz Inácio Lula da Silva ou Jair Bolsonaro seja eleito presidente da República. A afirmação é do economista Edmar Bacha durante participação do seminário virtual sobre o Plano Real, promovido pela Fundação Astrojildo Pereira.

Segundo Bacha, o Brasil e os demais países da América Latina registraram crescimento econômico, entre 2003 e 2014, impulsionados pela alta no preço das commodities e pelo apetite da China pelos produtos.

“Em 2016, ocorre o desastre econômico do governo do PT. Uma recessão de tal magnitude que até hoje nos desafia. O governo do Bolsonaro também não sai melhor da foto. O PIB do Brasil cai menos que o da América Latina durante a pandemia, mas também não se recupera tão bem quanto os demais países”, disse.

O economista ainda afirmou que, com exceção de Venezuela e Argentina, o Brasil tem a maior inflação do continente. Bacha ainda disse que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) continuará em alta diante do que classificou como disparate fiscal executado pelo Congresso Nacional e pela ameaça à democracia promovida por Bolsonaro.

“A inflação deve-se manter acima das metas definidas pelo CMN nos próximos dois anos”, disse Bacha.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe