É preciso manter juros até que moderação da inflação seja clara, diz dirigente do Fed

Phillip Jefferson, vice-presidente do banco central americano, disse que economia está sólida em termos de empregos que estão sendo criados e que declínio da inflação tem sido atenuado

Reuters

Fachada do Fed, em Washington, nos EUA (Foto: Divulgação)

Publicidade

O vice-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Phillip Jefferson, disse nesta segunda-feira (13) que, em uma economia saudável, o banco central deveria manter a política monetária estável até que fique claro que a inflação está novamente se moderando em direção à meta de 2%.

O Fed está procurando evidências de que as pressões dos preços estão recuando depois que um rápido declínio no ano passado sofreu reveses no início deste ano, disse ele.

E até que esses dados cheguem, “acho que é apropriado manter a taxa de juros em território restritivo”, disse Jefferson em uma conferência sobre comunicação do banco central realizada pelo Federal Reserve de Cleveland.

Continua depois da publicidade

A economia está “em uma posição sólida em termos de empregos que ainda estão sendo criados, o crescimento ainda está ocorrendo”, disse Jefferson. Mas, ao mesmo tempo, “o declínio da inflação foi atenuado no primeiro trimestre deste ano e isso, para mim, é uma fonte de preocupação”.

O segundo no comando do Fed observou que o essa situação  geralmente saudável da economia permite que ele se concentre no trabalho que precisa ser feito para reduzir as pressões dos preços.

Os comentários de Jefferson nesta segunda-feira foram os primeiros desde a mais recente reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto do banco central.

Continua depois da publicidade

Em 1º de maio, o Fomc manteve a meta para a taxa de juros do banco central, conforme esperado, enquanto os banqueiros centrais continuam a procurar evidências de que as pressões inflacionárias persistentes observadas no início do ano estão novamente diminuindo. A taxa de juros do Fed permanece entre 5,25% e 5,5% desde julho passado.

De modo geral, as autoridades do Fed ainda acreditam que poderão reduzir a taxa de juros, desde que as pressões inflacionárias comecem novamente a se enfraquecer em direção à meta de 2%.

Porém, algumas autoridades questionaram nos últimos dias se a política monetária está em um nível restritivo o suficiente para que a inflação volte a se aproximar da meta, embora essas autoridades não tenham dito que o Fed precisa aumentar os juros novamente.